Ireneu Barreto realça “profunda relação afetiva” de D. Maurílio à Madeira

O Representante da República para a Madeira emitiu uma nolta de pesar pelo falecimento do Arcebispo Emérito de Évora, o madeirense D. Maurílio de Gouveia. Ireneu Barreto refere que “foi com grande pesar que o Representante da República para a RAM tomou  conhecimento do falecimento do Arcebispo Emérito de Évora, D. Maurílio  Jorge Quintal de Gouveia, ilustre madeirense, natural do Funchal”.
Lembra o representante que D. Maurílio “foi aluno distinto no Seminário desta Diocese e mais tarde da Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma. Esteve ligado a diversos projectos como o Jornal da Madeira e leccionou no Funchal, em cuja Sé Catedral foi  nomeado cónego em 1961 e ordenado Bispo em 1974.
Figura notável e humanista prestigiado, com uma ampla obra bibliográfica, desenvolveu a sua missão pastoral mais relevante fora da  ilha da Madeira, em especial como Arcebispo de Évora entre 1981 e 2007,  ano em que atingiu o limite de idade”.
Ireneu Barreto realça, ainda, que “D. Maurílio Jorge Quintal de Gouveia manteve sempre profunda relação afetiva com a sua terra natal, onde faleceu hoje no Eremitério Maria  Serena em Gaula”.
O Representante da República para a RAM transmite à sua familia e às Dioceses do Funchal e de Évora as suas mais sentidas condolências.