“Preços absurdos da TAP” impedem maior crescimento do mercado nacional, diz Miguel Albuquerque na BTL

Miguel Albuquerque critica a TAP e diz que haverá pressão sobre o Governo da República para pressionar a companhia a reduzir preços. Foto Rui Marote
Albuquerque esteve na BTL para apostar no turismo nacional.
Vila Baleira na Bolsa de Turismo de Lisboa. Foto Rui Marote
Espaço do Grupo Pestana/CR7. Foto Rui Marote
Os deputados do PSD na Assembleia da República estiveram no pavilhão da Madeira. Foto Rui Marote

Miguel Albuquerque esteve hoje na Bolsa de Turismo de Lisboa, onde a Madeira está representada com os olhos virados para o reforço do mercado turístico nacional, sendo este um espaço por excelência para a prossecução desses objetivos, aos quais se juntam os números verificados em 2018 e que expressam um crescimento desse mercado, em hóspedes, em dormidas e em dias de permanência média.

O presidente do Governo Regional considera que “o mercado nacional continua a ser importante para a Madeira. E ainda seria melhor se a TAP não praticasse os preços absurdos que está a praticar, quer para a Madeira quer para o Porto Santo. Ainda neste último verão, alguns dos meus amigos que vinham passar férias ao Porto Santo, não vieram porque se depararam com preços de 600 e 700 euros. É importante continuarmos a fazer pressão, junto do Governo da República , no sentido de obrigar a TAP a reduzir os preços”.

Para Miguel Albuquerque, está fora de questão a Madeira apostar numa companhia aérea própria. “É muito arriscado e já tivemos o exemplo dos resultados nos Açores. A SATA entrou num mercado das empresas low cost e fica sujeito a uma concorrência quase incomportável”.