CDU critica sector da Saúde “enlameado por promiscuidades e negociatas”

A CDU abordou hoje no Funchal o hospital privado que será inaugurado em breve na Madeira. Nesta acção política, o coordenador regional, Edgar Silva, apontou o dedo quer ao PS, quer ao PSD, e tanto à Câmara Municipal do Funchal como ao Governo Regional, pelas “directas responsabilidades em diversas práticas lesivas do interesse público, em que o sector da saúde está enlameado por promiscuidades e negociatas”.

Edgar Silva considerou que o negócio da saúde “tem no hospital privado um dos maiores mostrengos, envolvendo PS e PSD. Para a CDU importa chamar a contas quem licenciou a implantação do hospital privado numa área que não está destinada a equipamentos e serviços. Para a CDU é à Câmara do Funchal que se devem imputar responsabilidades por uma negociata que não só licencia aquela obra, como permitiu o multiplicar da volumetria do projecto inicial. Quem permitiu o aumento da volumetria e a multiplicação do número de camas de 56 para 100 no hospital privado em conclusão na zona da Nazaré/Amparo, no Funchal, é totalmente responsável pelos negócios da saúde na Madeira”.

Para este responsável da CDU, “também o PSD e o Governo Regional devem ser chamados a contas, porque importa saber em que condições os governantes licenciaram a prestação de cuidados de saúde hospitalar a um projecto privado? Exigem-se respostas claras sobre cada uma das valências licenciadas no hospital privado”.

No entanto, para a CDU há uma outra questão que nas negociatas da saúde na Região requerem esclarecimento urgente, como afirmou Edgar Silva: “Como é que, quer o Governo Regional da Madeira, quer o Governo da República, podem aceder licenciar e negociar com um projecto hospitalar privado para a Madeira e ao mesmo tempo defender o investimento público no novo hospital público para a Madeira? Como é que o PS no Governo da República aceita licenciar os serviços privados, assim como o PSD no Governo Regional, quando se pretende a construção prioritária do hospital público com todas as valências necessárias para a Região?”

A CDU considera que os responsáveis por todas estas formas de prejuízo do interesse público deverão ser inquiridos.