Novo bispo reconduz titulares de cargos “até novas orientações”

Fotos Alfredo Rodrigues.

O novo bispo do Funchal, D. Nuno Brás reconduziu os titulares de todos os cargos, “até novas orientações”.

A confirmação foi feita ao Funchal Notícias pelo gabinete de informação da Diocese do Funchal.

Recorde-se que os cargos caem com a passagem à condição de bispo emérito, no caso de D. António Carrilho.

O que, habitualmente, sucede é que o novo Prelado mantém no exercício de funções os titulares nomeados pelo anterior bispo para que não se caia numa “vacatio”. Foi o que sucedeu.

Assim, mantém-se no execício de funções quer o vigário-geral da Diocese, cónego José Fiel de Sousa, quer o secretário pessoal do bispo, Pe. Carlos Almada, quer todos os outros responsáveis pelos arciprestes, secretariados diocesanos (pastoral, educação cristã, da Família, de Liturgia, das Migrações e Tursimo, de Pastoral juvenil, de pastoral da Saúde, de pastoral social, da pastoral vocacionalde animação missionária, das comunicações sociais); serviço diocesano dos Acólitos;  seminário (cujo reitor é o cónego Carlos Nunes) e movimentos da Igreja diocesana.

É também o caso do Vigário Episcopal do Património, cónego Carlos Duarte Nunes; Vigário Judicial e Juiz do Tribunal Eclesiástico, Pe. Marcos Gonçalves; os membros do tribunal; arquivo da Diocese e Biblioteca, Maria Paredes; o cabido (embora este não dependa propriamente de nomeação) e colégio dos consultores.

Relativamente ao Conselho Episcopal e o secretariado permanente, tais órgãos cessaram as suas funções com a sede vacante e serão novamente nomeados de acordo com os estatutos próprios.

Em breve, haverá eleições para a nomeação de um novo Conselho Presbiteral e Secretariado permanente desse conselho.