Paulo Cafôfo afirma querer corrigir assimetrias e desigualdades sociais

O candidato do PS-M às eleições regionais apontou, esta tarde, que uma das prioridades do programa que apresentará  passa pela redução das assimetrias regionais e desigualdades sociais  na Região.

No debate sobre Coesão e Desenvolvimento Territorial, no âmbito dos Estados Gerais do PS, Paulo Cafôfo disse que a “coesão tem de estar no centro das políticas públicas”. A Região, apontou, desenvolveu-se com os fundos da União Europeia, mas a questão é que “não basta derramar dinheiro”.

“Quando não se sabe o que se faz com o dinheiro, por vezes esbanja-se e não é aplicado efectivamente onde deve ser”, defendeu.

Cafôfo apontou os problemas do despovoamento, envelhecimento e empobrecimento que afectam os concelhos da costa norte, situação que promete combater. Deixou ainda alguns dados concretos que exemplificam essas assimetrias, nomeadamente o facto de 80% da população madeirense residir em apenas quatro concelhos – Funchal, Santa Cruz, Machico e Câmara de Lobos – e que entre 2011 e 2016 a população da Madeira diminuiu 4,8% em todos os concelhos, à excepção de Santa Cruz.

José Reis, da Faculdade de Economia e Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, considerou por seu turn que “é ao nível regional do Governo que é crucial resolver estes problemas” da coesão territorial. O orador disse ver fragilidades territoriais muito fortes no continente e acrescentou que “o tema da coesão territorial faz sentido enquanto princípio de todas as políticas regionais”.