Presidente da Casa da Madeira de Joanesburgo indignada com Albuquerque acusa-o de falta de apoio à instituição durante a visita à África do Sul

Casa da Madeira JoanbesurgoA presidente da Casa da Madeira de Joanesburgo, África do Sul, fez publicar hoje, 10 de dezembro, no Século de Joanesburgo, um jornal que veicula a informação para a comunidade portuguesa em território sul-africano, um anúncio onde critica a atitude de Miguel Albuquerque, que no início de dezembro esteve neste país de uma forte representação de emigrantes madeirenses, acompanhado por empresários e por alguns jornalistas em representação de alguns orgãos de comunicação social da Região, mas não foi à Casa da Madeira.

Segundo Guida de Freitas, esta comunicação à comunidade, em forma de anúncio, visou dar conta da “total deceção pela ação deplorável tomada pelo Exmo Sr. Presidente do Governo Regional da Madeira, em excluir a Casa da Madeira de Alberton como local de preferência para a celebração do programa da Festa da Flor e almoço. é lamentável que um Governo à disposição do seu povo, recuse apoiar a sua própria casa”.

Face a este episódio Guida de Freitas anuncia que “através desta falta de apoio e por estas consequências, lamento informar à Comunidade que a Casa da Madeira de Joanesburgo, em Alberton, será incapaz de celebrar a passagem de Ano. Aproveito ainda a oportunidade para agradecer a todos os nossos apoiantes leais pelo seu envolvimento e apoio contínuo à Casa da Madeira de Alberton”.

Recorde-se que Miguel Albuquerque esteve, no início de dezembro, na África do Sul, cumprindo um programa apenas publicado pelos jornais e não divulgado pela Quinta Vigia, apesar do anunciado caráter oficial da visita. O presidente do Governo assistiu, no Free State, à Festa da Flor e reuniu com a comunidade.