Mobilidade, promoção e requalificação do produto são “essenciais” para o Turismo, defende Cafôfo candidato a presidente do Governo

PS-M BDebate Turismo
Paulo Cafôfo: “Falta, se calhar, é darmos consistência e olharmos para o futuro e tornarmo-nos competitivos”.

Paulo Cafôfo, na qualidade de candidato do PS à presidência do Governo Regional, nas eleições em 2019, disse hoje, durante os Estados Gerais, na Ribeira Brava, que “o turismo tem de ser visto na perspetiva de inovação e de reinventar aquele que é o nosso produto, sendo que há três áreas que são essenciais. Uma delas é a acessibilidade e a mobilidade, sendo que a questão do aeroporto é fundamental para a sustentabilidade do destino. Outra é a promoção, ou seja, de que forma é que vendemos, ou se estamos a vender bem o nosso destino. A terceira é a requalificação do produto em termos do edificado, do natural e do cultural. «Este produto que nós temos é único. Considero que temos tudo. Falta, se calhar, é darmos consistência e olharmos para o futuro e tornarmo-nos competitivos. E, para tornarmo-nos competitivos, temos de ser atrativos», vincou Paulo Cafôfo.
Cafôfo omeçou por referir que, habitualmente, quando falamos em sustentabilidade pensamos logo em sustentabilidade ambiental. Mas, na verdade, disse, a sustentabilidade ambiental é um ponto, mas temos também a sustentabilidade económica, cultural, social, sendo que, na sua ótica, «o turismo é um ecossistema que tem um grande potencial, mas esse grande potencial só é concretizável se todas as componentes estiverem alinhadas». «É este alinhamento, pensado de forma global, que tem de ser visto na nossa terra», sustentou.
Destacou o facto de a Madeira ser uma região com uma diversidade concentrada. «Temos a natureza, a montanha, o mar, a cultura e temos as pessoas. E, no turismo, tudo começa e tudo acaba nas pessoas», afirmou, salientando que a Madeira se distingue também pela forma como acolhemos, pela nossa hospitalidade e pela qualidade do nosso serviço.