JPP acusa: há falta de docentes do ensino especial no Porto Santo

O partido JPP mostrou-se hoje preocupado com a falta de educadores, no caso específico da Educação Especial, no Porto Santo.

O deputado Paulo Alves apontou que “nesta zona pedagógica, temos cerca de 20 crianças, entre as quais quatro precisam de acompanhamento individualizado. Cada educadora tem de estar com cada uma delas, cerca de 12 horas, o que significa que uma educadora que acompanhe duas destas crianças, fica já com o seu horário completo. Portanto, temos educadoras da educação especial com sobrecarga de trabalho, que não conseguem dar resposta às necessidades dos seus alunos. São os próprios pais que reclamam e que pedem, no mínimo, mais duas educadoras no Porto Santo, com formação especializada”, salientou.

O “Juntos Pelo Povo”, lamentou que a situação ainda não tenha sido resolvida, uma vez que a Secretaria Regional da Educação “teve conhecimento da falta de educadoras especializadas já no ano passado”. Aliás, “houve crianças que no final do ano não tiveram o apoio a que têm direito, porque a secretaria com a tutela não colocou aqui educadoras com formação especializada”, disse ainda Paulo Alves.

Perante esta situação, que preocupa os pais e que não oferece resposta adequada às necessidades das crianças, este parlamentar alertou: “Temos educadoras e professores do 1.º ciclo especializados, que estão no desemprego, por isso não se compreende porque é que ainda não foram colocadas no Porto Santo pelo menos mais duas educadoras com formação na área do ensino especializado”.