Nós, Cidadãos! reclama obra que finalize a Ponte Nova

O partido “Nós, Cidadãos!” emitiu uma nota na qual condena a suspensão da obra da Ponte Nova, que, considerou, “envergonha os cidadãos”. Esta força política relembra que o órgão executivo da Câmara Municipal do Funchal (CMF) decidiu embargar a obra a cargo do Governo Regional, na Ribeira de Santa Luzia, a Ponte Nova, a 11 de Maio de 2017, ou seja, há mais de 1 ano e 4 meses, para analisar se o projecto prejudicava os seus elementos patrimoniais.

Entretanto, diz o partido, a Câmara do Funchal decidiu, por unanimidade, a abertura do procedimento de classificação de três pontes como Imóveis de Interesse Municipal: a Ponte Nova, a Ponte D. Manuel (na ribeira de Santa Luzia) e a Ponte São Pedro e São Paulo (na ribeira de São João), numa altura em que decorriam obras de correcção e consolidação nas ribeiras, sob a responsabilidade do Governo Regional e que estas previam – o que acabou por acontecer pelo menos num caso – a demolição de pontes.

O embargo da obra citada, aponta o “Nós, Cidadãos!”,  trouxe prejuízos e transtornos diversos para os comerciantes da zona, para os automobilistas que diariamente circulam nas ruas 5 de Outubro e 31 de Janeiro, e em particular para os moradores daquela área mas também para a população em geral. “Com prejuízo claro para os cidadãos que vivem, visitam e circulam na cidade do Funchal, as obras da Ponte Nova continuam estagnadas e abandonadas há mais de 500 dias, e durante todo este tempo as instituições responsáveis públicas não cooperaram, desbarataram dinheiros públicos, não olharam para o interesse público (…)”, acusam.

Por isso, o partido questiona: para quando o retomar das obras na Ribeira de Santa Luzia, da Ponte Nova? Qual o custo efectivo para o erário público deste embargo/paralisação e abandono das obras e que ainda hoje permanece? Quem pagará o acréscimo ao que estava inicialmente orçamentado? Que alterações ao projecto inicial da obra já estão (ou não) acordadas entre a CMF e o Governo Regional, para a salvaguarda deste importante património da cidade? E por último, quanto tempo durarão ainda as supracitadas obras de requalificação da Ponte Nova, e qual a data prevista para a sua reabertura e utilização por parte dos cidadãos?

Finalmente, o partido refere, numa nota algo irónica, que é verdade que a expressão “Construam-me, porra!!!” é tipicamente alentejana e que foi usada em 1994, numa parede do pontão nas obras na Barragem do Alqueva (interrompidas, na época) mas, hoje, NÓS, Cidadãos! apregoamos o mesmo: basta de espera! “Construam, de vez, a Ponte Nova!!!”