Emanuel Câmara no encerramento do congresso da JS-M: “A Madeira terá a partir de outubro de 2019 Paulo Cafôfo como presidente do Governo Regional”

Foto DR.

Foi com a convicção de que a alternância do poder na Região Autónoma da Madeira se irá concretizar em 2019, com Paulo Cafôfo como presidente do Governo Regional, que terminou, hoje, o XVI Congresso da JS-M.

No seu discurso, na sessão de encerramento da reunião magna dos jovens socialistas, o presidente do PS-M salientou que «a Madeira será à maneira de todos os madeirenses e porto-santenses e, a partir de outubro de 2019, terá Paulo Cafôfo como presidente do Governo Regional». O momento foi marcado por fortes aplausos dos muitos presentes que encheram ao auditório do Fórum Machico.

Segundo Emanuel Câmara, a humildade será fundamental para demonstrar claramente aos madeirenses e aos porto-santenses que no Partido Socialista e na JS temos quadros, pessoas capazes, simples e que querem finalmente que se proporcione Abril na Região Autónoma da Madeira, com a alternância do poder já em 2019.

O líder dos socialistas madeirenses aludiu às eleições autárquicas de 2013, momento em que «houve um acordar» dos madeirenses e porto-santenses, «fazendo com que ganhássemos o poder local, que mostrássemos, não só nas câmaras, mas também nas juntas de freguesia onde finalmente o PS chegou ao poder, que nós socialistas somos tão bons ou melhores, somos mais corretos para com a população, somos mais honestos, somos mais trabalhadores, estamos ali para servir a população e não para se servir da população». A prova disso, acrescentou, é que, em 2017, «solidificámos os resultados nas câmaras onde mandávamos».

Mas, constatou que «os nossos adversários arranjam inimigos externos e procuram descredibilizar o trabalho do PS e da JS que é feito diariamente, com afinco, com dedicação, com estima e consideração por aqueles que nos elegeram». «Estamos a fazer a diferença na gestão das contas públicas, que era uma desgraça quando chegámos ao poder e que estavam num caos, pela gestão danosa de muitas câmaras da RAM. É disto que os senhores do PSD estão cheios de medo, é que quando nós chegarmos ao poder vamos pôr a nu toda a gestão danosa que tivemos mais de 40 anos do poder tentacular da responsabilidade do PSD na RAM», afiançou, garantindo não ter dúvidas que «2019 será finalmente o ano da concretização da alternância do poder na nossa Região».

«A Madeira será finalmente uma terra onde se vai respirar, onde se vai viver com tranquilidade, pensando no futuro, fazendo com que os nossos jovens não nos abandonem, criando mais condições às famílias para cá ficarem», disse ainda Emanuel Câmara.

Por seu turno, o reeleito presidente da JS-Madeira, Olavo Câmara, parte para este último mandato assumindo aquele que considera ser «o maior desafio» da história da JS, «o de construirmos, todos juntos, “ A Madeira à tua maneira”», isto é, «uma Madeira em que todos contam e todos são precisos».

O jovem disse acreditar que «é com esta juventude e com esta JS que faremos cumprir o sonho dos nossos pais, que é ver o Partido Socialista a governar a Região Autónoma da Madeira».

Olavo Câmara voltou a elencar aquelas que entende serem as prioridades para a Madeira e o Porto Santo, em particular no que toca aos jovens, apontando propostas em seis áreas principais, nomeadamente Emprego, Educação, Habitação, Mobilidade, Coesão Territorial e Mais Participação.
O presidente da JS-Madeira defendeu também um maior aprofundamento da Autonomia, uma «Autonomia discutida, pensada e aplicada» e que «promova o desenvolvimento da Madeira e dos madeirenses». «Nós queremos uma Autonomia que não esteja à venda, nem se venda», afirmou, acusando Miguel Albuquerque de ter sido «o maior agiota da Autonomia madeirense, vergando a nossa Autonomia nos tempos da austeridade de Passos Coelho».

Por outro lado, Olavo Câmara acusou o PSD de estar «esgotado no seu modelo» e «desacreditado pelos seus militantes e perante os madeirenses». «Hoje, ninguém tem dúvidas de que os madeirenses já escolheram o que querem em 2019, e escolheram que querem mudar. Nestes dois dias de congresso, a JS mostrou que está preparada erguer uma Madeira à Maneira de todos os madeirenses», sublinhou.

Na sessão de encerramento usou também da palavra o presidente honorário do PS-Madeira, Emanuel Jardim Fernandes, que elegeu como desafio uma vitória marcante do partido nas Regionais de 2019. «É o desafio maior que temos e a JS vai assumir certamente esse desafio, que é sermos o próximo Governo Regional nas próximas eleições regionais», declarou.

Por seu turno, o secretário-geral da Juventude Socialista a nível nacional, Ivan Gonçalves, disse ter a certeza que, aqui na Madeira, com Emanuel Câmara à frente dos destinos do partido e com Paulo Cafôfo como candidato a presidente do Governo Regional, «nós teremos uma grande vitória, que vai fazer com que os madeirenses, finalmente, mais de 40 anos depois, possam chegar mais perto daquele que é o desenvolvimento que merecem, daquelas que são as condições que a Madeira pode oferecer e daquilo que é o futuro que é por todos desejado».

De referir também que hoje foi eleita a Comissão Regional da JS-M, que é presidida por João Pedro Vieira, assim como os representantes da JS na Comissão Regional do PS. Eleita foi ainda a Comissão de Jurisdição, que é presidida por Carolina Perestrelo.