Santa Cruz reforça social e Filipe Sousa acusa Governo Regional de “desnorte em três anos” e a “prometer tudo na reta final”

Santa Cruz iniciativa
Filipe Sousa diz que o Governo “teve três anos de desnorte e agora promete tudo na reta final”.

Apoios aos passes dos estudantes universitários e ao pagamento de creches e jardins de infância, constituema base do reforço social que a Câmara Municipal de Santa Cruz vai increver no próximo orçamento, de 2019. Isso mesmo disse o presidente da Autarquia, Filipe Sousa, hoje, num encontro com a população. A quem pediu, olhando para as Regionais do próximo ano, “atenção a manobras, porque em 2019 decide-se o futuro da Madeira e dos madeirenses”.

Foi a falar ao povo que o autarca apontou o alargamento dos apoios já previstos, como o Fundo Social de Emergência, recuperação de imóveis e bolsas de estudo, e com novas medidas que pretendem ir ao encontro das famílias do concelho de Santa Cruz e das suas necessidades. “Paralelamente, está previsto no próximo orçamento uma verba para ajuda aos agricultores nas diversas valências que aquela atividade encerra”.

Numa nota do gabinete de comnunicação do presidente, é referido que o mesmo deixou claro que “este é o caminho que vai ser seguido pelo Município, mesmo que a oposição fabrique realidades paralelas e invente medidas de quem não conhece realmente o concelho, as famílias e as suas aspirações e dificuldades. O CDS, que é telecomando do Funchal, defende que devíamos ajudar as empresas em vez de ajudarmos as pessoas; o PS fabrica empréstimos fictícios e nem sabe o que se passa em Santa Cruz; o PSD é o desnorte total e ainda nem se apercebeu do mal que fez a este concelho”, sublinhou.

Filipe Sousa diz que este é o cenário da política regional, coadjuvado por um Governo Regional que andou “três anos desnorteado” e que na reta final tudo promete e até copia iniciativas já anunciadas pela autarquia de Santa Cruz. O autarca referia-se ao apoio aos passes dos estudantes universitários e ao pagamento das creches. “E sinal de que seguem o que fazemos, é sinal de que estamos a ser pioneiros em muitas iniciativas sociais, é sinal de que fazemos com que o Governo acorde”.