CDU diz que em matéria de limpeza de terrenos Governo e Câmara comportam-se sob o adágio “Faz o que eu mando, não faças o que eu faço”

Foto CDU.

A CDU realizou uma iniciativa política esta manhã na freguesia de Santo António, mais precisamente, junto ao Complexo Habitacional das Romeiras.

Com os incêndios de agosto de 2016, um dos problemas identificados foi a quantidade de terrenos urbanos abandonados, que devido à falta de utilização foram contribuindo para o aumento do combustível vegetal.

Nesta iniciativa a deputada municipal Herlanda Amado disse que, “para além dos privados, existem entidades públicas, como o Governo Regional ou a Câmara Municipal do Funchal, que também são proprietárias de terrenos que estão completamente ao abandono e cercados por vegetação infestante.

A Câmara Municipal do Funchal, recentemente, dava nota de que tinham sido enviadas centenas de notificações e, na sequência destas, aplicadas coimas a proprietários de terrenos que não tinham cumprido as suas obrigações, no sentido de serem mantidos limpos os terrenos.

Mas, não deixa de ser lamentável e reprovável a postura do município, no que diz respeito às suas propriedades. Neste local onde nos encontramos, é possível de constatar que este terreno, propriedade da autarquia, encontra-se cercado de mato e vegetação infestante, com a agravante de estar paredes meias com uma zona densamente habitada, junto do conjunto habitacional das Romeiras e de um grande aglomerado de habitações. Quem notifica a Autarquia? Quem emite coimas ao município? Quem assume responsabilidades no caso de deflagrar um incêndio nos terrenos propriedade da Autarquia? É caso para dizer, faz o que eu mando, mas não faças o que faço”.