PTP apresentou na ALRAM protesto pelos atrasos do Centro Nacional de Pensões

O PTP apresentou um voto de protesto na ALRAM pelos atrasos do Centro Nacional de Pensões (CNP) na atribuição das prestações sociais. Diz o partido que o CNP não tem conseguido garantir a atribuição em tempo útil aos cidadãos que têm direito às prestações da Segurança Social. O tempo médio entre o período de requerimento da pensão e a pagamento é excessivo, levando meses e até anos, dependendo da complexidade das situações.

As queixas dos requerentes de prestações da Segurança Social multiplicam-se sobre atrasos significativos na atribuição de diversas prestações, nomeadamente, pensões de velhice, sobrevivência, entre outras, alertam os trabalhistas, que afirmam que os atrasos são ainda mais expressivos nas situações em que o requerente apresenta exercício de actividade no estrangeiro, como tem sucedido a muitos ex-emigrantes madeirenses.

“A degradação dos Serviços da Segurança Social, por falta de recursos humanos e técnicos está a gerar situações insustentáveis do ponto de vista financeiro aos requerentes das prestações sociais.  Culminando em situações dramáticas, como aqueles que tendo esgotado o subsídio de desemprego, esperam muito tempo para que lhe seja concedida a pensão de velhice antecipada por desemprego ou aquelas e aqueles que têm direito à pensão de sobrevivência e outros (ex-emigrantes) que aguardam o deferimento da sua pensão”, refere o PTP.

“É com sentimento de revolta e desespero que os utentes esperam meses e anos pela atribuição da prestação social a que têm direito”, denuncia.