Obras na escola da Ribeira Brava começam esta sexta-feira e ficam concluídas em finais de 2019

Escola da Ribeirta Brava alçado sul
O custo das obras ronda os 8 milhões de euros.

A obra na escola da Ribeira Brava esteve para começar em finais de junho, mas os exames e as avaliações levaram a que o prazo fosse alargado. Esta sexta-feira, 3 de agosto, os trabalhos vão mesmo para a frente e o momento será marcado com uma visita, ao local, por parte do Governo Regional. O custo envolvido é de 8 milhões de euros e até final de 2019 há nova escola.

Uma nota do gabinete de comunicação do Executivo recorda que “o novo estabelecimento escolar será implementado no mesmo local onde está agora o edifício da escola básica e secundária Padre Manuel Álvares”, referindo que “a escola secundária Padre Manuel Álvares teve, no ano letivo que agora terminou, teve uma população escolar de 879 alunos, 78 professores e 39 funcionários”.

No novo edifício escolar funcionarão 20 turmas do 2º ciclo (5º, 6º) e do 3º ciclo (7º, 8º e 9º) e 19 turmas do ensino secundário e educação formação (10º, 11º e 12º), num total de 39 turmas.

A mesma informação da presidência do Governo, refere que “aconstrução do novo edifício será executada em duas fases, conforme está definido no plano de faseamento. Numa primeira fase, serão demolidos os blocos mais precários com um só piso e serão construídos parte dos 2 blocos que compõem o edifício. Na segunda fase, serão demolidos os blocos com dois e três pisos e será construída a parte restante dos dois blocos, o ginásio e o parque de estacionamento com o polidesportivo descoberto na sua cobertura”

Diz a nota emitida hoje que “desta forma faseada a escola continuará em funcionamento durante a construção deste equipamento escolar e os alunos terão sempre garantido o serviço de refeições”, destacando ainda que “agaragem ficará semienterrada e terá capacidade para 40 viaturas. No exterior, e ao nível do arruamento existem mais 17 lugares de estacionamento, que ficarão reservados para a escola. Este conjunto edificado terá cinco laboratórios, uma sala de música, cinco salas de EVT e uma sala de Oficina de Artes e ainda 27 salas de aula, bem como diversos gabinetes (reprografia, secretaria, biblioteca, etc). A cozinha, se necessário, está preparada para funcionar em sistema de outsourcing”.

O ginásio fica situado no edifício norte e tem os respetivos balneários de apoio para os alunos e para os professores. Existem 4 balneários de alunos (2 para cada sexo) e um para os professores. Outro dos espaços desportivos deste estabelecimento escolar é um polidesportivo. Serão criadas bancadas com capacidade para 150 pessoas.

O Governo aponta, também, que “no edifício sul existe uma Sala Polivalente, que terá um palco sobrelevado, serão disponibilizadas zonas de jardim e nos diversos pátios exteriores foram inseridas zonas verdes por forma a garantir espaços de sombra. Em toda a escola está assegurada o acesso de pessoas com mobilidade reduzida com segurança, facilidade e sem barreiras arquitetónicas”.