Taekwondo madeirense com novos cintos negros e graduações mais altas neste patamar

A Associação de Taekwondo da Madeira realizou recentemente exames de graduação para cinturão negro (Dans), tendo agora o Taekwondo madeirense mais atletas com esta graduação, cuja simbologia é particularmente importante na progressão nas artes marciais, significando já um patamar com um nível proficiência elevado. Isto, embora depois do cinto negro existam múltiplas graduações subsequentes, sem que o cinto mude, mas cada uma delas marcando um novo nível de exigência que tem de ser cumprido.
As jovens atletas Mariana Fernandes e Sara Camacho obtiveram o seu cinturão negro e o grau de 1º. Dan, enquanto que José Santos e Isabel Laranjeiras obtiveram  já o grau de 2º. Dan. Todos estes atletas são do Club Sport Marítimo. Entretanto, nos Unidos da Camacha, onde também se ensina e pratica Taekwondo, Guida Gouveia obteve o grau de 3º. Dan.

Os exames foram efectuados nos respectivos clubes, tendo os atletas sido avaliados pelo mestre Mário Rodrigues, 4º. Dan, registado na Kukkiwon (sede Mundial do Taekwondo na Coreia do Sul).
Neste exigente exame, os atletas tiveram de demonstrar o seu conhecimento técnico adquirido ao longo dos treinos, nas várias vertentes do Taekwondo: Poomsae (formas técnicas), kyorugui (combate), Hoshinsul (técnicas de defesa pessoal) e kyokpa (técnicas de quebra de tábuas).

Estas graduações são importantes para o crescimento do Taekwondo na Região e para o desenvolvimento dos atletas madeirenses nesta modalidade olímpica, considera o mestre Mário Rodrigues.