CDU reivindica melhores condições de vida para os reformados e pensionistas na Região

A CDU esteve hoje numa jornada de contacto com reformados e pensionistas ao longo da manhã nos concelhos de Machico, Santa Cruz e Funchal.

Junto ao Largo do Município, em conferência de imprensa para apresentar as conclusões desta jornada de trabalho, o dirigente comunista Ricardo Lume proferiu a seguinte declaração:

“Foi com a luta e a intervenção da CDU que as pensões e reformas beneficiaram de um aumento extraordinário.

A acção da CDU na Assembleia da República possibilitou que a partir de agosto de 2017 mais de 2 milhões de reformados e pensionistas passassem a receber um aumento extraordinário nas suas pensões.

Em janeiro de 2018 pela primeira vez em muitos anos, houve um aumento geral das pensões embora fosse inferior às propostas da CDU.

No próximo mês de agosto cerca de 1,2 milhões de reformados terão um aumento de 20 euros no valor das suas reformas. Este ano já foi possível receber por inteiro o subsídio de férias e no final do ano será possível receber o subsídio de natal por inteiro, pela primeira vez em mais de 5 anos.   A acção da CDU foi decisiva e quanto mais força a CDU tiver melhores reformas terão os nossos reformados e pensionistas. 

Se a nível nacional foi possível dar passos na valorização das pensões e nas reformas na Região o PSD e o Governo de Miguel Albuquerque chumbou todas as propostas que a CDU apresentou na Assembleia Regional para garantir a melhoria das condições de vida dos reformados e pensionistas da nossa Região.

Na discussão na especialidade do Orçamento Retificativo para 2018 a CDU propôs que as verbas dos jogos sociais fossem destinadas para garantir um complemento de reforma de 65€ a todos os reformados e pensionistas que auferem rendimentos inferiores ao salário mínimo.

Mais uma vez a maioria PSD chumbou esta proposta que vai ao encontro das aspirações dos reformados e pensionistas da Madeira e do Porto Santo.

Se existe na Região um acréscimo ao salário mínimo nacional para combater os custos de insularidade.

Se existe na Região um subsídio de insularidade para os trabalhadores da administração pública para combater os custos de insularidade.

Se nos Açores, por proposta da CDU, os reformados e pensionistas açorianos recebem um complemento regional de reforma há mais de 20 anos para combater os custos de insularidade.

Por que razão não existe um complemento regional de reforma para os reformados e pensionistas da Madeira e do Porto Santo?  

A CDU também propôs na Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, que o Governo Regional garantisse:

A construção de uma rede de lares de idosos na Região;

Promovesse uma mais ampla rede de equipamentos e serviços de apoio à terceira idade;

Criasse uma resposta ao nível de equipamentos sociais para a população idosa (serviços de apoio domiciliário, centros de noite e residências para idosos).

Lamentavelmente, mas não surpreendentemente o PSD chumbou estas propostas.

A CDU vai continuar a lutar para que estas justas reivindicações possam ser uma realidade no futuro.”