Rui Rio diz que a TAP “não está a cumprir o serviço público na Madeira, nos cancelamentos e nos preços”

Rio com Albuquerque
TAP, subsídio de mobilidade, Hospital e taxas de juro estiveram em cima da mesa no encontro entre Rui Rio e o Governo Regional.

O líder nacional do PSD disse hoje, depois de um encontro com o Governo Regional, que “o Estado comporta-se como uma instituição bancária na taxa de juros aplicada pelos empréstimos à Região, superiores mesmo aos que o próprio Estado contrai fora”. Quanto à TAP, “não está a cumprir o serviço público, nos cancelamentos e nos preços”.

Rio referiu aos jornalistas que “a questão da TAP e o cancelamento de voos, não sendo exclusivamente para aqui, é particularmente grave pela inexistência de alternativas. Se este governo central entendeu que o Estado não poderia abandonar a TAP e decidiu ficar com 50%, então esses 50% de capital público têm, necessariamente, que corresponder a um serviço público, porque se não for para prestar o serviço público, não vale a pena ter 50%. E o serviço público da TAP não está a ser cumprido, não só pelos cancelamentos, mas também pelos preços que vem praticando para a Madeira e para o Porto Santo”.

O futuro hospital da Madeira “é uma reivindicação justa”, na perspetiva de Rui Rio, sublinhando o facto de se tratar de uma infraestrutura importante para a Madeira e para os madeirenses, mas também para uma Região com predominância turística.