Albuquerque inaugura amanhã obras no Porto Santo

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, visita amanhã o Porto Santo, onde visitará duas obras e presidirá à tomada de posse dos novos órgãos sociais de um novo clube de golfe.

Albuquerque visitará pelas 10 horas as obras de beneficiação de infraestruturas de apoio à detecção e vigilância de incêndios florestais, no Posto Florestal e Zona de Lazer das Chapas, no Porto Santo, refere uma nota do gabinete da Presidência.
O valor da recuperação do Posto Florestal das Chapas ascendeu a 76.091,44 euros, financiada pelos fundos europeus em 85%
A intervenção incidiu na melhoria das condições de habitabilidade e comodidade do posto e na introdução de energias renováveis com a implementação de painel solar térmico.

Procedeu-se à substituição e reforço da cobertura, ao isolamento térmico e acústico, à substituição das redes de água, esgotos e ligação do esgoto à rede pública, à remodelação de toda a rede eléctrica e de telecomunicações, à recuperação e substituição dos pavimentos interiores das zonas de serviço e de estar, bem como as portas e janelas, à construção de uma nova instalação sanitária e à recuperação da existente e à colocação de novos equipamentos sanitários.

Paralelamente, o Governo Regional construiu, junto ao Posto Florestal das Chapas, um novo espaço de lazer, com uma área aproximada a 2000m2, para usufruto da população local e visitante.

O espaço em causa tem várias zonas apropriadas para a realização de merendas, com um conjunto de mesas e bancos ladeados por alguns exemplares arbóreos, bem como vista privilegiada para as dunas localizadas junto à Fonte da Areia.
A vigilância nos espaços florestais, na maioria dos casos, está a cargo do Corpo de Polícia Florestal, beneficiando esta estrutura de um conjunto de instalações – Postos Florestais e Torres de Vigilância – distribuídas estrategicamente ao longo das serras.

Os postos florestais foram construídos em meados do século passado. Sujeitos a condições adversas ao longo dos tempos, carecem agora de recuperação, de beneficiação, estando a ser submetidos a todo o tipo de obras que se consideram urgentes, que serão decisivas para devolver ao efectivo de guardas florestais, condições de trabalho condignas e proporcionais à nobreza da sua atividade, reforçando significativamente a eficácia na prevenção e detecção de incêndios florestais
O Posto Florestal das Chapas, é única infraestrutura da ilha do Porto Santo abrangida por este programa, diz o GR.

O chefe do Executivo madeirense visitará também, às 11 horas, os trabalhos de beneficiação da Central Dessalinizadora do Porto Santo, que visam a melhoria da prestação de serviços de abastecimento de água potável à população da ilha.
Este investimento do Governo Regional da Madeira, através da Águas e Resíduos da Madeira (ARM), visou a reformulação de duas unidades de dessalinização de água do mar, por osmose inversa, dando origem a uma nova unidade de maior dimensão com uma capacidade de produção de 3000 m3/dia, optimizada em termos de eficiência energética e qualidade da água produzida.

Até ao final do deste ano decorrerão os trabalhos de requalificação do edifício onde estão instaladas as unidades de dessalinização, de modo a assegurar o seu bom funcionamento assim como a proteção de bens e pessoas.
O investimento é de cerca de 800 mil euros, co-financiados pela União Europeia no âmbito do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (PO SEUR) em 85%.

A Central Dessalinizadora, gerida pela ARM – Águas e Resíduos da Madeira, S.A., está localizada no centro da cidade do Porto Santo, junto ao cais e é a única origem de água potável com qualidade utilizada para o abastecimento público, sendo esta produzida a partir da água salgada por intermédio de unidades de dessalinização por osmose inversa.
A central foi construída no final da década de 70, pelo Governo Regional da RAM, através da Secretaria Regional do Equipamento Social, e entrou em funcionamento no ano de 1979.

Naquela altura, os recursos hídricos do Porto Santo eram escassos e limitavam-se a algumas origens de água natural de baixos caudais que não eram suficientes para satisfazer as necessidades de água para consumo e, atendendo ao previsível aumento do fluxo turístico, era urgente encontrar uma solução alternativa que satisfizesse as necessidades de consumo da altura e futuras.
Fruto do aumento da procura de água para consumo, a Central foi sujeita a várias ampliações. Anualmente produz cerca de 1.000.000 m3, explica o Governo Regional.

Finalmente, às 11.30 horas, no Porto Santo, Miguel Albuquerque estará na apresentação do projecto “PXO Golfe Clube”, uma nova agremiação desportiva local.

O PXO Golfe Clube será um clube filiado na Federação Portuguesa de Golfe, com autoridade e poderes para atribuir e gerir handicap e um conjunto de benefícios para todos os seus sócios.

Fundado por Bruno Miguel da Cruz André Martins, o clube tem por finalidade a divulgação e prática do golfe e cumulativamente a de outras atividades desportivas, turísticas, culturais e recreativas relacionadas direta ou indiretamente com a prática da modalidade.
A coletividade terá atividade no Porto Santo Golfe, campo desenhado por Severiano Ballesteros, com percurso de 18 buracos, espalhados pelos 6,434 metros, um Par 72.

O clube propõe-se a desenvolver estratégias para o aumento de praticantes locais, através de programas de Academia de Golfe em estreita relação com as escolas do Porto Santo, à organização de diversos torneios internos e regionais e a promover uma política concertada que traduza num aumento de número de turistas que vêm o Porto Santo como destino turístico.

O “PXO Golfe Clube» vai ainda procurar desenvolver estratégias conjuntas para promoção externa do Porto Santo como destino de Golfe, acautelar a sustentabilidade do campo de golfe do Porto Santo, melhorando as condições de prática da infra estrutura desportiva como produto de excelência e oferta de golfe e apostar em profissionais qualificados para o desenvolvimento do golfe no Porto Santo.

Irá também disponibilizar uma oferta complementar aos golfistas visitantes, como a Talassoterapia, Atividades de Animação Turística complementares como Mergulho.

Finalmente, é ainda objectivo do clube colocar no calendário regional e nacional da modalidade um evento de referência e com qualidade, capaz de pôr o Porto Santo no mapa dos eventos desportivos, bem como também contribuir para a economia local, através de uma estratégia turística, criando postos de trabalho directos, alavanca na indústria e projecção do golfe.