CDU defende que a CMF deve assumir habitação social como assunto prioritário

A CDU realizou hoje uma iniciativa junto ao Conjunto Habitacional das Romeiras, na qual a deputada municipal Herlanda Amado alertou para os problemas habitacionais, que continuam a constituir uma das grandes prioridades sociais para as quais são necessárias medidas e soluções concretas.

“Não podemos continuar a falar das cerca de 3400 famílias a necessitar de habitação no Município, sem que se tomem medidas concretas. A Câmara Municipal do Funchal, embora não tendo a exclusiva responsabilidade de suprimir as carências habitacionais do Concelho, constitui-se como um parceiro imprescindível no desenvolvimento de mecanismos e medidas capazes de suprimir, ou pelo menos minorar, as dificuldades sentidas nesta área tão sensível”, opinou.

A CMF, no entender da CDU, deve assumir como intervenção prioritária a vertente habitacional, implementando um conjunto de medidas e desenvolvendo iniciativas aos mais diversos níveis, junto de outros organismos e instituições públicas e de privados, no sentido de dinamizar políticas habitacionais capazes de responder ao cenário de carência actual.

Por isso, a CDU vai apresentar uma Proposta de Resolução na próxima reunião da Assembleia Municipal, para que a Câmara Municipal do Funchal proceda à identificação dos terrenos e áreas com capacidade construtiva; elabore e publique uma lista de sítios para uma “bolsa de terrenos” no Município, sendo que a autarquia garante neste âmbito, que os terrenos cedidos pelo grupo Savoy situados no Pico das Romeiras, na freguesia de Santo António sejam preservados neste processo para a construção de habitação social; e desenvolva um processo de contactos com outras entidades públicas e privadas no sentido da implementação de parcerias tendentes a dinamizar o processo de construção de habitação, com os evidentes benefícios que o mesmo traria para solucionar a grave carência habitacional do concelho do Funchal. É necessário garantir uma intervenção.”