“Colonia e Vilões” junta-se à Coleção de DVDs da Academia Portuguesa de Cinema

A nova adição à lista dos DVDs da “Colecção Academia”, da Academia Portuguesa de Cinema, é o documentário “Colonia e Vilões” de Leonel Brito, lançado em 1978 e apresentado na versão renovada em DVD na quinta-feira, dia 5 de Julho, às 17h00, na Cinemateca Portuguesa, e na segunda-feira, dia 9 de Julho, às 18h30, na FNAC do Chiado, em Lisboa.

“Colonia e Vilões” é sobre a Madeira e as suas gentes mas, curiosamente, só foi transmitido no Teatro Municipal do Funchal pela primeira vez em Fevereiro deste ano, numa cerimónia organizada pela Universidade da Madeira. Agora, a versão em DVD tornará mais fácil aos madeirenses conhecerem esta análise à sua História, através das vozes dos homens e mulheres que viveram séculos de opressão sob o regime do contrato de colonia, que estabelecia a divisão dos ganhos do trabalho nas terras agrícolas entre os colonos, que as exploravam, e os seus proprietários, os “morgados”, refere uma nota de imprensa.

O documentário inclui episódios como a Revolta da Farinha (1931) e a Revolta da Água na Ponta de Sol (1962), levadas a cabo pelo povo dos colonos e fortemente reprimidas pela Ditadura, que pactuava com os grandes proprietários rurais para manter o regime de escravatura dos camponeses. Após o 25 de Abril, são esses mesmos camponeses oprimidos que procuram a esperança e a liberdade da sua anterior condição.

Leonel Brito, hoje com 77 anos, é produtor, realizador, editor e fotógrafo. Nasceu em 1941 em Moncorvo, no distrito de Bragança, e a licenciatura em Engenharia Agrária que tirou não o impediu de fazer carreira no mundo do cinema e da televisão. Foi director do ABC Cine Clube e Cine Clube Imagem e cofundador da Cooperativa Cinequanon, em 1974. Em 1976, coube-lhe a função de representante da ACOBAC, tendo sido conselheiro de David Mourão Ferreira no Secretariado do Estado da Cultura.

Entre os filmes que produziu e realizou ao longo da carreira contam-se “Caldo de Pedra”, com textos de Luís de Sttau Monteiro, “Portugal de Faca e Garfo” e “ Freiras de Portugal”. No campo das séries, destaque para “Do Paleolítico ao Romano” e “Romanos Entre Nós” e no dos documentários, vários deles premiados e que marcaram o panorama do cinema português, não podem esquecer-se “Gente do Norte”, “Colonia e Vilões”, “Marmelo e Silva” e “Guerra Junqueiro” e os dois filmes biográficos de Félix Ribeiro, fundador da Cinemateca Portuguesa, e Artur Duarte, cineasta e autor de algumas das principais comédias portuguesas dos anos 50.

A versão renovada de “Colonia e Vilões” é o primeiro de oito filmes que serão lançados em parceria com a Cinemateca Portuguesa. No lançamento, dia 5 de Julho às 17h00 estarão presentes na Cinemateca o realizador, vários membros do elenco e da produção do documentário, bem como demais convidados, e pelas 18h30 será feita a projecção do documentário na Sala Luís Pina. Além disso, o DVD será ainda apresentado na Madeira em data a anunciar.