Sara Madruga confronta ministro da Saúde com a recente visita à Madeira e a situação do novo hospital

 

A deputada do PSD-M  na Assembleia da República, Sara Madruga da Costa aproveitou hoje a presença hoje do ministro da saúde no parlamento nacional, naquela que será uma das últimas audições regimentais da sessão legislativa para confrontá-lo com a visita que efectuou à Madeira no início de Junho a propósito de uma iniciativa partidária do PS-M.

“Lamentável e vergonhosa é o que me ocorre dizer perante a sua visita à Madeira no início de junho” referiu Sara Madruga da Costa.

A deputada madeirense considerou “lamentável” a visita do ministro da saúde à Região no início de Junho e “vergonhosa” a forma “eleitoralista” como Adalberto Fernandes e o governo da República estão a tratar o financiamento do novo hospital da Madeira.

“Há três anos que este governo da República adia a solução e empurra a sua resolução para as próximas eleições”. Há três anos também que o ministro da Saúde promete visitar a madeira e reunir com os órgãos regionais e não o faz, preferindo fazer política com a saúde dos madeirenses”, afirmou Sara Madruga.

“O ministro da saúde teve agenda para reunir nos Açores com os órgãos de governo próprio, mas na Madeira apensa reuniu com os militantes do PS M e fê-lo, não para explicar o ponto de situação do financiamento do novo hospital, não para explicar como se governa cumprindo as promessas eleitorais, mas apenas para explicar as supostas maravilhas do serviço nacional de saúde do continente. Se isto não é governar de forma partidária e eleitoralista tratando de forma diferente as duas regiões autónomas, não sei como o não será” referiu Sara Madruga da Costa.

A deputada madeirense confrontou ainda Adalberto Fernandes com as várias promessas efetuadas pelo ministro no parlamento, relativamente ao financiamento do novo hospital, relembrou a inactividade do grupo de trabalho que apenas ontem conheceu os novos representantes indicados pela República e as sucessivas promessas de visitas à Madeira e reuniões com o governo regional que continuam por cumprir.

Na sua resposta, o ministro disse que iria dedicar um maior tempo à resposta às questões colocadas pela deputada madeirense e tentou explicar-se dizendo que esteve na Madeira a convite de um partido e na qualidade de membro da Comissão Política do Partido Socialista e que considerou indelicado reunir no dia anterior com o Governo Regional da Madeira.