Agência criada no Registo de Navios liga armadores internacionais a jovens formados em Portugal

Registo de navios MAR
A agência tem o objetivo e estabelecer ligação entre os armadores internacionais do MAR e os marítimos e jovens formados em Portugal.

A informação está no site da Sociedade de Desenvolvimento da Madeira, entidade responsável pela gestão, administração e promoção do Centro Internacional de Negócios (CINM), nas suas quatro áreas. E faz referência que “um grupo de parceiros internacionais com navios registados no Registo Internacional de Navios da Madeira (MAR) decidiu criar uma agência de manning no âmbito do Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM), com o objectivo de estabelecer ligação entre os armadores internacionais do MAR e os marítimos e jovens formados em Portugal”.

Para a SDM, aponta a mesma nota, “este é mais um exemplo que mostra o contributo do MAR para o cluster do shipping no País e uma das suas valias mais concretas, ou seja, a capacidade de manter e criar emprego para marinheiros portugueses, quer em alto mar quer em terra nas empresas de serviços que suportam as actividades dos navios registados”.

A informação sublinha ainca que “a notícia foi conhecida muito recentemente numa apresentação na Escola Náutica Infante D. Henrique (ENIDH), o local adequado para revelar que a Marítimos Manning Portugal será um projecto com características técnicas inovadoras que pretende contribuir para aumentar o número de cidadãos nacionais entre as tripulações dos navios registados no MAR”.

Segundo Carla Vieira, responsável que liderará o projecto em todo o País, a MMP apostará em tecnologias de ponta para ligar os armadores aos candidatos a tripulantes. “Em breve teremos o software pronto, pelo que poderemos começar já a trabalhar com os jovens que se graduarem este Verão na ENIDH”, afirmou.

Conforme sublinhou a responsável da MMP, “os promotores deste projeto acreditam firmemente na qualidade da formação em Portugal e na qualidade e capacidade dos marítimos portugueses para se adaptarem aos novos tempos da globalização na área do shipping. Acreditam que o País, no seu todo, e a Madeira, em particular, devem aproveitar o facto do MAR ser uma porta de entrada em Portugal para armadores internacionais. Nesse sentido, acrescentou Carla Viera, devem aproveitar e valorizar o empenho quer do Governo Regional da Madeira quer do Governo Central para dar maiores condições de competitividade ao Registo”.