CMF dinamizou projeto P’RATELER com crianças de todo o concelho

Foto DR.

A Câmara Municipal do Funchal (CMF) acolheu, desde a semana passada, uma exposição temática nos Paços do Concelho, relativa ao projeto P’RATELER, uma iniciativa do Departamento de Educação e Qualidade de Vida da Autarquia, introduzida no ano passado nas escolas do 1º CEB do concelho. O projeto teve por objetivo desafiar as crianças destes níveis de ensino a construírem casinhas-biblioteca para as suas respetivas escolas, assumindo-se como uma ferramenta de aprendizagem multifacetada.

“Quem já comprou uma peça de mobília e teve que a montar, sabe que não é tarefa fácil. Começa-se com alegria e espírito positivo. Todos querem ajudar, mas rapidamente se percebe que aquilo parece um presente envenenado para testar a nossa resiliência e espírito de equipa. Este é um exercício com o condão de testar as nossas capacidades, mostrando facetas nossas ou dos outros que desconhecíamos, e que nos deixa orgulhosos quando conseguimos chegar ao fim”, explica Madalena Nunes, Vereadora com o pelouro da Educação no Funchal. “Foi um repto semelhante o que a CMF fez chegar às escolas do 1º ciclo do concelho e o feedback que temos tido dos docentes foi o melhor possível, considerando-se que a montagem das bibliotecas P’RATELER funcionou como uma ferramenta de aprendizagem riquíssima.”

Todas as escolas do 1º CEB do Funchal receberam, assim, um kit com placas de madeira cortadas, parafusos e porcas, e o respetivo esquema de montagem para conseguirem montar uma casinha. Os objetivos eram comuns: montar a casa, decorá-la, construir as regras de utilização e decidir onde colocá-la.

“Uma coisa tão simples, acaba por funcionar como um instrumento de aprendizagem que envolve não só os valores inscritos no Perfil de Saída dos Alunos do Ensino Básico (liberdade, responsabilidade, cidadania, participação, excelência, exigência, curiosidade, reflexão e inovação), como muitas das áreas de competência: o saber tecnológico e científico, a linguagem, a criatividade e a estética, o raciocínio e a resolução de problemas, o relacionamento interpessoal, entre outros”, destacou Madalena Nunes.

“As cidades podem e devem constituir-se como espaços educativos, proporcionando aprendizagens variadas e ajudando a capacitar as suas populações. É essa a política que temos desenvolvido no Funchal ao longo dos últimos anos, com coerência e sustentabilidade”, concluiu. Na exposição apresentada no átrio da CMF foi, igualmente, escolhida pelos próprios alunos a melhor biblioteca construída no âmbito do P’RATELER.