JS-Madeira elegeu no fim-de-semana Comissão Organizadora do Congresso

A Juventude Socialista-Madeira invocou uma excepção estatutária prevista para, na Comissão Regional Alargada que decorreu no fim-de-semana, em São Vicente, eleger a Comissão Organizadora do Congresso, que decorrerá este ano, composta apenas por mulheres. Entre os dez elementos que figuram na lista, não consta nenhum homem.

Olavo Câmara refere que “esta é uma forma de a JS-Madeira alertar para a situação que se vive neste momento na Região: enquanto no Continente e nos Açores a lei de 2006 já é cumprida, com o mínimo de 33% de representação de ambos os sexos nas listas eleitorais, na Madeira a lei nunca foi aplicada. Agora, em 2018, essa representação mínima passou para 40% e na Madeira passámos a ficar duas vezes para trás”.

O presidente da JS-M afirmou que “a falta de mulheres envolvidas na vida política não serve nem nunca serviu de justificação para a não transposição da legislação nacional para a Região, porque isso não é verdade e este é mais um exemplo de que há muitas mulheres envolvidas na política. Apesar disso, o PS e a JS cumprem com essa legislação e assim continuaremos a fazer”.

Olavo Câmara diz ainda que “este é mais um exemplo de que a normalidade democrática na Região continua longe de estar alcançada, ao contrário do que invoca o PSD”.

O Congresso Regional da JS decorrerá no segundo semestre de 2018, em data e local indicados posteriormente pela Comissão Organizadora do Congresso, que será liderada por Marina Barbosa, a jovem advogada socialista que é secretária-geral da JS e que integra o Secretariado do PS-Madeira.