Menos professores contratados e sobrecarga de trabalho, acusa o SPM que desmente acordo com o Governo Regional

sindicato professores
O SPM diz que a sec secretaria da Educação apenas acolheu algumas propostas do Sindicato, mas de menor relevância.

A direção do Sindicato dos Professores da Madeira emitiu, hoje, um comunicado onde desmente “todas as notícias e informações sobre um eventual acordo dado à proposta de alteração do decreto legislativo regional que regula o regime jurídico dos concursos para seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente”.

Diz o SPM que “foram emitidos dois pareceres negativos ao longo do processo negocial: um na conclusão da fase regular das negociações e outro, na passada quarta-feira, depois de analisada a versão final apresentada pela Secretaria, após a realização da negociação suplementar realizada a pedido do SPM. Que não restem, pois, quaisquer dúvidas: a discordância do SPM é total em relação às principais alterações feitas ao referido decreto. O SPM reconhece, apenas, que a SRE acolheu algumas das suas sugestões, que infelizmente diziam respeito a aspetos de pouca relevância”.

O Sindicato reage com veemência sublinhando que “só por má-fé ou por manipulação da informação se pode afirmar que as alterações aprovadas pelo governo agradam ao SPM, tanto mais que, como se verá em breve, levarão a uma redução drástica de docentes contratados nas escolas e a uma sobrecarga de trabalho dos professores dos quadros das escolas e das zonas pedagógicas”.

Diz ainda a nota do SPM que “toda a nossa insatisfação e discordância para com as medidas gravosas que constam deste diploma estão plasmadas nas atas negociais, que podem ser consultadas pelos nossos sócios”.