PTP quer derreter a placa de inauguração no Lido e substituí-la por outra que reponha “a verdade histórica”

 

Foto Rui Marote

O PTP apresentou uma proposta de “reposição da verdade histórica” na placa de inauguração do Complexo Balnear do Lido. A deputada municipal dos trabalhistas na CMF recorda, na proposta, que a obra do Lido foi concluída em 1933 por Braheem Kassab, que ficou com a concessão e fez do Complexo Balnear do Lido um lugar de referência.

“Com o passar dos anos, o Complexo Balnear do Lido, foi alvo de várias obras de beneficiação pelos diversos executivos camarários da autarquia funchalense, com especial destaque ao executivo de Miguel Albuquerque e de Paulo Cafôfo”, reconhece o texto da proposta.

“Na última remodelação de que o espaço foi alvo o Sr. Presidente da Câmara Paulo Cafôfo, incompreensivelmente, não fez qualquer referência ao passado e à memória de quem lançou e ergueu a obra na placa de inauguração. Limitando-se de uma forma narcisista e deslumbrada a fazer referência à sua pessoa e ao Primeiro-Ministro, António Costa, ficando com os louros de uma obra que não é sua”, acusa o PTP.

Daí que os trabalhistas entendam que “a placa deve ser derretida, e reposta no lugar, outra placa com os seguintes dizeres: ‘Complexo Balnear do Lido/Construção iniciada pela Câmara Municipal do Funchal em 1931 e concluída em 1933, por Braheem Kassab. Sofreu várias remodelações, sendo as mais importantes, nos mandatos dos Exmos. Srs. Presidentes de Câmara, Miguel Albuquerque e Paulo Nascimento Cafôfo. Obras concluídas e inauguradas em março de 2016, pelo Exmo. Sr. Primeiro-Ministro António Costa.”