Limpeza subaquática na baía da Quinta do Lorde retira mais de 40 kg de lixo

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAInvestigadores do pólo da Madeira do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE-Madeira) e do Observatório Oceânico da Madeira (OOM) desenvolveram, em colaboração com o centro de mergulho Azul Diving Center e com a Quinta do Lorde Hotel & Marina, uma limpeza subaquática na baía da praia da Quinta do Lorde retirando mais de 40 kg de lixo do fundo, em que o material de pesca perdido representava mais de metade dos itens recolhidos.

Segundo uma nota enviada à comunicação social, refere-se que “o trabalho de separação e categorização do lixo recolhido revelaram que mais de 55% dos itens recuperados eram provenientes da pesca (ex: linhas, redes, iscos e anzóis). Garrafas, contentores e fragmentos de plástico constituíam 18% dos itens, seguidos por garrafas e fragmentos de vidro (11%), por peças e fragmentos de metal de material de construção e afins (6%), tecidos, redes e sacos de rede (5%) e latas de metal (4%)”.

A mesma nota indica, ainda, que “a monitorização, triagem, classificação e análise do tipo de lixo são passos essenciais para definir estratégias de redução de lixo e de gestão sustentável de habitats marinhos e da orla costeira, permitindo identificar fontes mais prováveis e avaliar diferentes impactos. Nesta iniciativa o material de pesca surge como o tipo de lixo mais abundante, sugerindo a necessidade de procurar soluções especificas que visem a reduzir e/ou diminuir o seu impacto. As artes de pesca perdidas e/ou abandonadas são um dos tipos de lixo mais nocivos para habitats submersos, devido aos efeitos combinados da pesca fantasma (captura continuada da arte de pesca perdida) e da contaminação resultante da degradação do material plástico (que constitui a maioria das artes de pesca)”.
O projecto Clean Atlantic, um projecto internacional financiado pelo programa INTERREG Atlantico que inclui 13 parceiros de Portugal, Espanha, França, Irlanda e Reino Unido, pretende melhorar a capacidade de monitorizar, prevenir e remover lixo marinho na área do Atlântico. Na RAM, investigadores do MAREMadeira e do Observatório Oceânico da Madeira – coordenados pela Agência Regional para o Desenvolvimento da Investigação, Tecnologia e Inovação (ARDITI) – irão trabalhar em conjunto com a Direcção Regional do Ordenamento do Território e Ambiente (DROTA) e restantes parceiros no desenvolvimento e optimização de ferramentas de monitorização e previsão e na avaliação de impacte de lixo marinho em zonas costeiras e habitats marinhos de forma a contribuir para as metas e compromissos previstos na Directiva Quadro Estratégia Marinha.