Renda do Atalaia baixa este mês de 183 mil euros/mês para 131 mil mas SESARAM perde espaço

O Conselho de Governo reunido em plenário em 28 de março de 2018 resolveu autorizar a celebração, entre o Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM) e a Associação Atalaia Living Care, de um contrato de subarrendamento não habitacional de Duração Limitada com a Associação Atalaia Living Care (Associação de Solidariedade Social), do prédio urbano localizado ao Sítio da Tendeira, Pico da Atalaia, freguesia do Caniço, concelho de Santa Cruz.

Trata-se do Atalaia Living Care e o contrato inclui os serviços de manutenção.
O contrato é pelo período de 19 de setembro de 2017 até 30 de abril de 2018, pelo valor global de €1.302.162,12, já com o IVA incluído, nos seguintes moldes:
a) De 19 de setembro de 2017 até 31 de março de 2018, com o valor da renda mensal de €150.000,00, acrescido de IVA, o que perfaz o montante de € 183.000,00;
b) No mês de abril de 2018, é reduzido o espaço de subarrendamento apenas para as alas B e C do imóvel, fixando-se a renda em €107.346,00, acrescido de IVA, o que
ascende ao montante mensal de €130.962,12.
“O SESARAM, E.P.E. mantém 211 utentes com alta clínica, mas sem possibilidade de regresso ao domicílio ou de outra resposta de caráter social, internados na referida Unidade de Internamento de Longa Duração denominada Atalaia, e que, não há alternativa possível até ao respetivo enquadramento na Rede de Cuidados Continuados Integrados da Região Autónoma da Madeira, que se aguarda para breve”, justifica a Região.