Capela da Mouraria com mais de mil visitantes em fevereiro

Capela da Mouraria
A Capela da Mouraria aberta ao público desde 2016.

Os números apontam para 1087 os visitantes da Capela da Mouraria registados em fevereiro. Portugueses mas também estrangeiros de várias nacionalidades, designadamente alemã, francesa, brasileira, espanhola, italiana, inglesa, chinesa, dinamarquesa e austríaca.

Desde a sua reabertura ao público, a 4 fevereiro de 2016, data que marcou o início das Comemorações dos 40 anos de Autonomia, a Capela de Santo António da Mouraria “tem suscitado o interesse e curiosidade do público”, refere uma informação enviada às Redações, referindo ainda que “algumas das entradas foram feitas em grupo, sob a orientação de um guia, enquanto que outras foram visitas programadas para alunos das escolas da Região”.

Dedicada a Santo António, Doutor da Igreja e sob a evocação de Santo António da Mouraria, esta Capela foi edificada nos inícios do século XVIII. A sua construção deveu-se ao provedor e juiz desembargador Dr. João de Aguiar, que, de acordo com a sua vontade registada em testamento, veio ali a ser sepultado. A fundação da Capela de Santo António da Mouraria data de 1714 e o alvará episcopal para o seu funcionamento data de 24 de dezembro de 1736. Tendo deixado de ser utilizada ao longo do século XIX, a Capela foi restaurada em todo o seu conjunto, reinstalada e redecorada com um conjunto de retábulo, imagem e alfaias da sua época de fundação. Foi solenemente reaberta ao culto a 4 de dezembro de 1990. O edifício encosta-se à antiga escadaria manuelina de acesso à Sala dos Contos, correndo ao longo da antiga muralha interior da fortificação, no sentido poente-nascente. De linhas bastante simples, ostenta, no entanto, um portal de cantaria rija regional e caraterísticas vincadamente barrocas. Interiormente, possui um pequeno espaço reservado à sacristia, ou a batistério, sob as escadas citadas, assim como um lava mãos de cantaria regional, no lado oposto