Estepilha! Chefias intermédias com direito a motorista e carro preto

Imagem de arquivo FN-Rui Marote, que mostra o uso adequado da viatura oficial.

O Estepilha foi alertado para uma realidade que julgara ter já passado à história. Há funcionários públicos, mais precisamente chefias intermédias do nosso governo, com direito a “carro preto” para levá-los a casa, buscar e pô-los aos aeroportos – nas viagens de serviço, claro está! – e às ações inerentes à pasta que têm à sua responsabilidade.

Primeiro, o Estepilha condescende que um secretário regional ou até uma esfera mais alta do poder possa ter direito a um motorista dada a agenda e responsabilidades que tem a seu cargo. Mas, daí para baixo, o Estepilha fez como São Tomé: só vendo para acreditar. Venham as imagens. E elas falam muito alto, reservando-se o Estepilha a não as publicar para evitar sérios embaraços. Mas elas estão ao dispor de quem tem o direito à indignação. Os cidadãos atentos, que metem gasolina diariamente, pagam impostos da viatura que conduzem e outras exigências, ficam indignados com a vizinhança de mordomias, ainda por cima paga com os impostos dos contribuintes. E recordam que, na Europa, os Ministros andam de autocarro e bicicleta…

Porém, bem vistas as coisas, o Estepilha, que gosta da brincadeira e menos de coisas sérias, acha que não há razões para a indignação. O transporte de diretores, subdiretores, adjuntos e adjuntas e tutti quanti, em carros do governo, é um bem de primeira necessidade, na Madeira e no Continente (olhe-se para a “gerigonça”). O que é isso, perante a falta de medicamentos no Hospital ou a estrada para o agricultor chegar à cidade? Primeiro a mordomia e depois a necessidade. Se precisarem cortar nas gorduras do Estado, o Estepilha está ao dispor para mostrar imagens e vídeos dessas gorduras.