Autoridade Marítima emite alerta: caravelas portuguesas na orla costeira da Madeira

A Autoridade Marítima emitiu hoje um aviso do máximo interesse àqueles cuja pele é mais insensível ao frio e que se banham todo o ano nas águas da Madeira: foram avistadas várias caravelas-portuguesas na costa sul da ilha, especialmente na zona entre a Ponta Gorda e o Lido.

Por isso, a AM alerta para, no caso de ser avistada, ser evitado o contacto com este organismo marinho, já que o seu veneno é muito perigoso e causa dores severas. Com o nome científico “Physalia physalis”, a caravela-portuguesa vive na superfície do mar graças a um flutuador cilíndrico, azul-arroxeado e cheio da gás. Os seus tentáculos podem atingir 30 metros.

A picada causa sintomas de dor forte e sensação de queimadura no local, além de irritação, vermelhidão, inchaço e comichão. Algumas pessoas que são especialmente sensíveis às picadas e venenos das águas-vivas podem ter reacções alérgicas graves, como falta de ar, palpitações, cãibras, náuseas, vómitos, febre, desmaios, convulsões, arritmias cardíacas e problemas respiratórios. Devem então ser encaminhadas de imediato para os serviços de urgência hospitalar.

No caso de haver contacto com a caravela portuguesa, a Autoridade Marítima aconselha não esfregar o coçar a zona afectada, para não espalhar o veneno; não usar água doce, álcool ou amónia; não colocar ligaduras; lavar cuidadosamente com soro fisiológico; retirar com cuidado os tentáculos, caso tenham ficado agarrados, usando luvas, uma pinça de plástico e soro fisiológico; aplicar vinagre no local atingido; aplicar bandas quentes ou água quente para aliviar a dor; e consultar um médico o mais rapidamente possível.