“Nós, Cidadãos!” quer que haja apoio aos passageiros retidos no Aeroporto da Madeira

O partido Nós, Cidadãos! surgiu hoje a criticar o “infeliz e triste, mas seguramente evitável espectáculo, que de forma recorrente se tem vindo a verificar nas instalações do Aeroporto da Madeira – Aeroporto Internacional da Madeira
Cristiano Ronaldo – porta de entrada e saída de passageiros da região, sejam residentes, sejam turistas”.

Esta força política aponta ser do conhecimento público que a inoperacionalidade do Aeroporto da Madeira é cada vez
mais recorrente, parecendo por outro lado que a ANAC levará tempo a concluir o estudo dos limites do vento e a tomar uma decisão. Agora, refere o partido, os condicionalismos colocam-se até na época de Verão, tornando a vida dos passageiros que estão naquela infraestrutura, por vezes, um verdadeiro “tormento”, no qual os passageiros ficam muitas vezes “abandonados à sua sorte”.

“Não lhes é prestada qualquer informação, não havendo ninguém especificamente escalado para atender a estas repetidas contingências”, refere o “Nós, Cidadãos”, que diz que os passageiros ficam frequentemente no terminal do Aeroporto da Madeira “ao Deus dará”.

Ora, essa não é a imagem que uma Região que vive essencialmente do turismo – e que foi recentemente distinguida, pela terceira vez consecutiva, como ‘melhor destino insular do mundo’ na cerimónia dos World Travel Awards
– deve passar para o exterior.

Para o Nós, Cidadãos!, urge que o Governo Regional e a entidade gestora das instalações do Aeroporto Internacional da Madeira – Cristiano Ronaldo, em conjunto, criem um gabinete onde equipa/s de piquete possam ocorrer imediatamente aos passageiros quando as  situações de contingência operacional ocorram, prestando-lhes informações e auxílio, contribuindo assim para uma verdadeira e real imagem de excelência que se quer para uma
Região onde a galinha dos ovos de ouro foi e é o sector do turismo.

O Nós, Cidadãos! acrescenta ainda, e depois de ouvir atentamente o lamento de alguns cidadãos retidos nos últimos dias no Aeroporto Internacional da Madeira – Cristiano Ronaldo, a falta (e necessidade) de mais sanitários (e com possibilidade de duche) e a disponibilidade mais lugares sentados para que se possa ‘descansar’ com condições
mínimas de conforto nos dias de contingência operacional do aeroporto.