PSD volta a questionar Ministério da Cultura sobre espólio da Madeira arquivado na Torre do Tombo

Visita ao Arquivo Regional. Foto DR

O grupo parlamentar do PSD vai questionar o Ministério da Cultura sobre o espólio da Madeira arquivado na Torre do Tombo, em Lisboa.

Segundo uma nota de imprensa hoje divulgada, após uma visita ao Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira, a deputada Rubina Leal lembrou que estes documentos são “essenciais para a nossa história e memória”, sublinhando que, mais do que a transferência física, importa que sejam encontradas soluções, possivelmente através da digitalização, para que esses conteúdos possam “ser disponibilizados aos madeirenses e portossantenses o mais rapidamente possível”.

De referir que, em março do ano passado, foi anunciada a transferência da Torre do Tombo de cerca de três mil documentos, em formato digital, mas a verdade é que até à data isso não aconteceu.

“Documentos produzidos pela Madeira, devem ficar na Madeira”, afirmou a deputada.

Os documentos dizem respeito a um período fundamental da história da Madeira, dos séculos XV e XVI, correspondente ao povoamento.

Rubina Leal salientou que “o grupo parlamentar tem conhecimento de várias diligências efetuadas ao longo de muitos anos e, após esta visita ao Arquivo Público e Biblioteca, verificou que nada foi feito, no sentido de este importante acervo estar no nosso arquivo, que tem tido um trabalho exemplar no património arquivístico, preservação, conservação e restauro de documentos”.

A deputada sustenta que são poucos os arquivos que têm salvaguardados todos os seus documentos até à década de 70, os quais podem ser consultados por qualquer cidadão.

Rubina Leal referiu também que a Madeira optou por uma política de descentralização dos seus arquivos, podendo ser acedidos num só local documentos provenientes de várias fontes, como os arquivos municipais e das conservatórias, o que tem sido um trabalho muito relevante no património cultural da Região.