Polícias descontentes saíram à rua em manifestação na defesa dos seus direitos

Fotos: Rui Marote

Quatro sindicatos de polícia, o Sindicato Independente Livre da Polícia (SILP), o Sindicato Vertical de Carreiras da Polícia (SVCP), O Sindicato de Polícia pela Ordem e Liberdade (SPPOL) e o Sindicato Nacional da Polícia (SINAPOL) estiveram envolvidos na organização da manifestação que esta tarde atravessou as ruas do centro do Funchal, desde o Campo da Barca, nos jardins frente ao Comando da PSP, até ao Palácio de São Lourenço.

Os polícias desfilaram pelas artérias funchalenses, rumo à residência oficial do representante da República, Ireneu Cabral Barreto, em cujo gabinete entregaram um documento dando conta das suas reivindicações, relativamente à concretização das prometidas medidas de evolução na carreira e de melhores condições de trabalho.

Os polícias queixam-se de falta de dotação para fardamento e equipamento individual; reposição de índices renumeratórios; concursos de promoção na carreira de Chefes e Agentes; passagem à pré-aposentação; elevado défice de efectivos – Chefes e Agentes;  falta de meios (Carros patrulha e equipamento de protecção individual); continuada degradação das instalações policiais (Esquadras de Machico e Porto Santo); e fraca (ou quase inexistente) assistência médica na Região Autónoma da Madeira por falta de contratos de prestação de serviços médicos, clínicas e hospitais.