Dragon Force/Marítimo em sub-11 e Nacional/Anadia em sub-13 decidem amanhã Ponta do Sol Cup 2018

Foto DR.

Bom ambiente, uma organização à altura e equipas interessantes, estes são os pontos mais destacados e enaltecidos por quem veio de fora para participar ou então assistir ao Ponta do Sol Cup, como são os casos das equipas do Anadia FC e SL Benfica e respectivas comitivas acompanhantes.

Segundo uma nota de imprensa divulgada pela organização, hoje decorreram as meias-finais dos dois escalões.

Amanhã, à final vão Dragon Force x CS Marítimo, em sub-11 (11 horas), e CD Nacional x Anadia FC, em sub-13 (11h30).

Ricardo Simões, pai de um atleta do Anadia FC, não podia estar mais satisfeito com o torneio e com o que tem visto nesta sua primeira vez na Madeira. “Estou a gostar muito, é um torneio bastante agradável, grande e com bastantes equipas bem conhecidas também, está a ser muito bom”, começou por referir. Como não veio no ano passado, e fruto do bom feedback dos pais que compareceram no ano anterior, garante que o torneio está a superar as expectativas que trazia. “O meu filho também está a gostar bastante e é para voltar, sem dúvida”, acrescenta.

“Estou aqui pela segunda vez, no ano passado viemos, foi fantástico e acho que é uma experiência que não se esquece”, confessa Maria Rodrigues, mãe de um jogador também do Anadia FC. Esta encarregada de educação destaca “o convívio” que se cria durante o torneio. “Acho importante esta troca de cultura, no fundo porque, apesar de sermos todos portugueses, a Madeira é sempre Madeira, uma ilha, outra cultura, outras gentes”, defende.

Os treinadores das equipas de sub-13 do Anadia FC e do SL Benfica também têm uma opinião muito favorável do torneio. “Estamos a gostar muito, a competitividade tem sido muito grande”, salienta Cláudio Mestre do Anadia FC, realçando também o convívio e o fairplay entre equipas.

O treinador dos sub-13 do SL Benfica, Flávio Costa, garante que estão “a gostar bastante e está dentro das expectativas” que traziam. “Quanto ao torneio, queremos deixar aqui uma referência de qualidade e de competitividade, parece-me que cresceu bastante em relação ao ano passado, há mais pessoas e a fase de grupos teve sempre a presença de muita gente, mesmo à noite”, afirma, garantindo que, aconteça o que acontecer, o Benfica está sempre disposto a regressar.

“É sempre um torneio que nos traz aqui algumas condições particulares, de interesse, como a questão do estágio, de andar de avião, de algum tipo de vivências e, se a competitividade aumentar ainda mais, para nós é apetecível poder continuar”, confessa.

Do continente para acompanhar o Benfica veio João Paulo Silva, que está a achar o torneio “espectacular”. “É a primeira vez na Madeira, eu estou a gostar muito, sou uma pessoa que facilmente me emociono e viver aqui algumas emoções tem estado a fazer em pleno a minha alegria”, vinca, destacando a “beleza da ilha e a organização bem estruturada”.

“Vou voltar, são dois dias em que cá estou, não tenho tempo para ver a ilha, mas, com todo o gosto, voltarei à ilha da Madeira para dar a volta a esta maravilha”, confessa.