Nova palestra no MASF propõe-se debater a datação e autoria da colecção de pintura flamenga

 

São Nicolau, proveniente do Hospital da Misericórdia do Funchal

Numa nova conferência a realizar-se no Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) serão discutidas questões de atribuição de autoria e de datação da pintura flamenga existente naquele espaço. Na palestra, justamente intitulada “Reconsiderar a Colecção de Pintura Flamenga”, a oradora, Sara Lambeau, abordará as questões em apreço.

Este evento tem como público-alvo a comunidade local. A conferência tem duas sessões programadas, uma na parte da manhã, entre as 11h30 e as 12h30 e proferida em francês, especialmente dedicada ao público francófono, residente ou de passagem pela ilha, e a alunos da disciplina de francês; a segunda sessão é na parte da tarde, entre as 15h30 e as 16h30, e realizar-se-á em Português. A entrada é livre.

O tema da conferência, esclarece o MASF, parte da problematização do processo de datação e atribuição das obras, tendo como base a colecção de arte flamenga do Museu de Arte Sacra. A conferencista refere o seguinte, numa introdução à sua comunicação:

“Como foram datadas e atribuídas as obras flamengas do Museu de Arte Sacra e, sobretudo, como se desenvolve o processo de datação e atribuição para as obras em geral? As respostas a essas questões ajudam a compreender os motivos da atribuição e da datação e a importância de rever aquelas estabelecidas no passado, confirmando ou propondo novas. De facto, datar um objecto e atribuí-lo significa colocar no tempo o momento da sua realização, é colocá-lo de volta no tempo da sua criação. São dados essenciais que permitem apreender e estudar a produção de um mestre e a permanência ou a novidade de uma forma, um estilo, uma técnica ou uma decoração e seguir a evolução, muitas vezes desigual, de uma região para outra.” 

Sara Lambeau nasceu da Bélgica em 1991. Possui mestrados em Arqueologia e em História da Arte, com especialização em conservação e restauro do património material pela Universidade Livre de Bruxelas.

Realizou estágios no Palazzo Pitti, em Florença, e na Academia Bélgica em Roma. Entre Julho e Setembro de 2017, realizou estágio no Museu de Arte Sacra do Funchal ao abrigo do programa Eurodissea, programa de intercâmbio da Assembleia de Regiões da Europa (AER). Encontra-se a finalizar o período de prolongamento do estágio na mesma instituição, ao abrigo do “Tremplin Job” do Bureau International Jeunesse da Belgica.