Rui Barreto incentiva lesados do Banif a exigirem o mesmo tratamento que o Estado deu aos lesados do BES

O vice-presidente do CDS-PP e deputado na Assembleia Legislativa da Madeira, Rui Barreto, incentivou hoje os lesados do BANIF a exigirem do Estado, que era accionista do banco à data da “venda fraudulenta”, como referiu o primeiro-ministro António Costa numa visita à Madeira, um tratamento em tudo semelhante ao que o Estado decidiu para os lesados do BES.
Rui Barreto recordou ainda que amanhã, quinta-feira, dia 14 de Dezembro de 2017, é o último dia para os lesados poderem reclamar. Caso não o façam, ficam excluídos de decisões futuras que venham a ser tomadas.
Sendo o Estado o principal accionista do BANIF, o deputado do CDS-PP insiste em saber o que está a ser feito ao produto da venda dos activos e do património imobiliário do extinto banco, valores que deveriam reverter para os lesados. A condição de accionista confere ao Estado uma responsabilidade maior do Governo da República, no sentido de encontrar uma decisão política  capaz de ressarcir os accionistas lesados e os milhares de emigrantes madeirense que perderam as poupanças de uma vida de trabalho difícil, refere o CDS.