PS-M já entregou propostas ao Orçamento de Estado

O PS-Madeira já entregou as propostas ao Orçamento de Estado, disse o líder socialista, Carlos Pereira, esta manhã, em conferência de imprensa, onde sublinhou que foram apresentadas matérias fundamentais para a Região Autónoma da Madeira.

Carlos Pereira destacou o compromisso do PS-M, no que diz respeito à possibilidade de negociação entre o Governo da República e o Governo Regional para a redução dos juros da dívida na sequência do PAEF. O presidente do PS-M reiterou que ficará consagrado no OE2018, conforme prometeu, a abertura do Governo da República para negociar a redução dos juros da dívida da Região com o estado.

Refira-se que o OE2018 consagra matérias relacionadas com a mobilidade entre a Madeira e o continente, no que concerne ao aumento das verbas que estão inscritas no Orçamento de Estado, tendo ficado também assegurado o apoio nos meios aéreos para o combate aos incêndios.

Por seu turno, frisou que haviam matérias que deviam ser esclarecidas por parte do Governo Regional, uma delas tem a ver com o hospital, sendo que o PS voltou a apresentar uma proposta semelhante à do ano transato, que consagra o cofinanciamento em 50% para a construção novo hospital, ficando, por isso, nas mãos do PSD a realização deste projecto.

Carlos Pereira abordou, ainda, os apoios para a habitação na sequência dos incêndios, mencionando que, infelizmente, “o PSD não executou todos os apoios que estavam previstos, uma vez que em 2017 apenas enviou  35 processos para reabilitação de habitações, quando estavam em causa cerca de 100 processos. O dirigente socialista lembrou que 6 processos estão assinados e só 2 se encontram em análise, sendo que o próprio Governo Regional retirou 9 processos, uma vez que não tinham condições para serem apresentados. No que concerne aos restantes 70 processos não há nenhuma informação da parte do Instituto de Habitação da Madeira”, lamentou, segundo reza um comunicado de imprensa.

Para além disso, referiu que “2,5 milhões de euros que estavam no Orçamento foram transferidos para o Orçamento de 2018, portanto não foram gastos em 2017, em 2018 foram acrescentados mais 2,5 milhões de euros do que já estavam previstos, ou seja já estão no Orçamento da República 5 milhões de euros para a ajuda à habitação e, em 2019, serão registados conforme foi acordado entre os governos”. O que revela que o Governo Regional não se preocupa em resolver com celeridade estas questões.

Por fim, deixou uma nota sobre os emigrantes da Venezuela, garantindo que foi adicionado no OE2018 uma verba para ajudar as famílias necessitadas.