Câmara do Funchal pretende realizar mais de 600 análises à água em 2018

Miguel Gouveia, vice-presidente da autarquia.

O Departamento de Infraestruturas e Equipamentos da Câmara Municipal do Funchal, que tem sob a sua tutela a Divisão de Águas e Saneamento Básico do Município, já elaborou o seu Programa de Controlo da Qualidade da Água para Consumo Humano para o ano de 2018, tendo submetido o mesmo à aprovação da Direção Regional do Ordenamento do Território e Ambiente (DROTA), que é a entidade competente para o efeito.

O Funchal renova, assim o controlo físico-químico e microbiológico das águas de consumo humano sob a sua responsabilidade, distribuídas em baixa no concelho.

O Vice-Presidente da CMF, Miguel Silva Gouveia, destaca “o empenho da Autarquia no sentido de desencadear todos os procedimentos ao seu alcance para assegurar a qualidade da água de consumo no Funchal a todos os seus munícipes. Esta é uma medida que cumpre os requisitos legais e que concretiza as práticas de excelência que temos vindo a implementar nos últimos anos, em termos de salvaguarda da qualidade da água, de promoção da água municipal, de incentivo à poupança, de combate às perdas e de otimização na distribuição.”

O autarca, que tem o pelouro das Águas e Saneamento Básico no Funchal, recorda, para o efeito, a campanha que a Câmara Municipal do Funchal levou a cabo no início do ano, intitulada “Desta Água, Beberei”, com vista a incentivar justamente ao consumo de água da torneira no concelho, que é tida como uma das melhores do país.

“Com base nos valores das amostras de água a nível nacional, e na linha do que tem sido sempre regra, a água canalizada do concelho encontra-se entre os melhores parâmetros do país, mas a Autarquia continua a ser proativa e vai desencadear novas campanhas em breve, tanto na lógica do consumo da nossa água da torneira, como no que respeita ao uso domiciliário racional da água, o que é sempre uma questão importante num território insular como o nosso”.

O objetivo, segundo Miguel Silva Gouveia, “é a multiplicação das práticas sustentáveis pelas quais o Funchal já tem sido reconhecido nacional e internacionalmente”, referindo, para o efeito, “que a qualidade da nossa água de consumo foi um dos critérios para a Associação Bandeira Azul da Europa entregar ao Funchal, pelo terceiro ano consecutivo, a Bandeira Verde ECOXXI.”

De acordo com o Programa para a Qualidade da Água 2018, o Município tem previstas, para o próximo ano, 614 análises, num total de 255 pontos de amostragem distintos, cuja localização se manterá confidencial.

As recolhas serão, contudo, efetuadas preferencialmente em locais públicos (escolas, centros de saúde, edifícios municipais, fontanários, entre outros), ainda que existam algumas exceções à regra, com amostragens previstas em residências particulares.

As análises à qualidade da água do Funchal serão realizadas por um laboratório devidamente certificado e acreditado pelas entidades competentes, que será selecionado através de contratação pública.