Secretaria da Educação admite que a greve de professores “perturbou as aulas e o funcionamento de escolas”

A Secretaria Regional de Educação referiu na sexta-feira, acerca da greve dos professores, considerar que o direito à greve não é questionável e “é certo que a realização do protesto contra as medidas do Governo da República, insertas em sede do Orçamento para 2018, assenta tanto na legitimidade dessa forma de luta, como no direito dos visados por tais medidas, designadamente os professores, se insurgirem contra as mesmas”.

A greve realizada na sexta-feira, admitiu, perturbou as aulas e o funcionamento de escolas. “No âmbito da gestão dos respectivos recursos, os órgãos de gestão de cada estabelecimento avaliaram a situação a cada momento e mantiveram o respectivo funcionamento dentro de critérios de segurança e sempre na salvaguarda dos direitos dos alunos, como é reconhecidamente o direito à Educação”

Ainda com dados provisórios, os efeitos da greve nos estabelecimentos de ensino da Região foram, na parte da manhã:

– encerramento de escolas: 1

– escolas em funcionamento mas sem actividades lectivas: 64

Na parte da tarde:

– encerramento de escolas: 5

– escolas em funcionamento mas sem actividades lectivas: 65

A Secretaria Regional da Educação acrescentou que o número de professores que aderiram à greve só será apurado nos próximos dias, após validação da informação dos estabelecimentos de ensino.