Cafôfo disponível para falar do Monte mas quer saber em que âmbito numa Comissão que tem por especialidade a Saúde e Assuntos Sociais

cafofo
Cafôfo disponível para ir ao Parlamento falar sobre o Monte mas quer esclarecimentos sobre o âmbito da audição numa comissão que tem como especialidade a Saúde e Assuntos Sociais.

O presidente da Câmara Municipal do Funchal está disponível para ser ouvido no âmbito da Assembleia Legislativa Regional da Madeira, que enviou para a Câmara um pedido para que o autarca fosse ouvido e “esclarecer os deputados relativamente aquela que poderá ser a responsabilidade da Câmara Municipal do Funchal naquilo que se passou no mês de agosto na freguesia do Monte”.

Num ofício de resposta, enviado pelo chefe de gabinete de Cafôfo, este refere ter recebido o pedido de disponibilidade de agenda relativamente a uma audição parlamentar, por solicitação do deputado Gil Canha, aprovada na 5ª Comissão Parlamentar Especializada de Saúde e Assuntos Sociais. Diz a nota que a Assembleia não apontava qualquer data de resposta e que o presidente da Câmara soube, pela comunicação social, que já tinha sido estabelecido dia 30 de outubro para essa mesma audição, dia que Cafôfo “não está disponível”, sendo isso mesmo que manifestou ao gabinete de Tranquada Gomes.

Paulo Cafôfo mostra-se, não obstante essa indisponibilidade para o dia 30, disponível para prestar declarações no âmbito da “tragédia do Monte”, indicando as datas de 10 e 17 de novembro como possíveis para essa ida ao Parlamento, solicitando no entanto, alguns esclarecimentos sobre o âmbito dessa audição em contexto de uma Comissão que tem como especialidade a Saúde e Assuntos Sociais quando o motivo indicado pela Assembleia é o “esclarecimento sobre responsabilidades da Câmara”.

O gabinete de Cafôfo lembra ainda que a tragédia do Monte está a ser alvo de um processo de inquérito por parte do Ministério Público.