Sérgio Marques: “Não fazia sentido continuar a fazer parte do Governo”

Foto LR

“Confirmo que, em conversa com o Presidente do Governo Regional, após o meu regresso de Bruxelas, entendi que em função do rearranjo orgânico que me foi apresentado não fazia sentido continuar a fazer parte do Governo”.

As palavras são de Sérgio Marques, até agora secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus do Governo de Miguel Albuquerque.

Segundo uma nota de imprensa, Sérgio Marques orgulha-se de ter feito parte deste “projeto, do qual saio com a convicção do dever cumprido”.

“Tenho orgulho de ter implementado um novo conceito de proximidade com os nossos conterrâneos espalhados pelo mundo, uma valorização do relacionamento entre o Governo e o Parlamento, novas orientações estratégicas referentes às obras públicas e uma forma transparente de apoio à comunicação social. Cumpri igualmente com uma das promessas do Governo: a alienação do Jornal da Madeira”, revelou.

“Proximamente darei conta das opções que vier a tomar sobre o meu futuro político”, prometeu.

Foram estas as pastas tuteladas por Sérgio Marques:

1 – À Secretaria Regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus são cometidas as atribuições referentes aos sectores seguintes:

  1. a) Administração da justiça;
  2. b) Assuntos europeus;
  3. c) Assuntos parlamentares;
  4. d) Comunidades madeirenses e imigração;
  5. e) Comunicação social;
  6. f) Edifícios e equipamentos públicos;
  7. g) Estradas;
  8. h) Obras públicas.
  9. A Secretaria Regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus exercia a tutela sobre as seguintes entidades:
    1. a) Empresa Jornal da Madeira, Lda.;
    2. b) VIAMADEIRA – Concessão Viária da Madeira, S.A..

    Eram ainda cometidas à Secretaria Regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus as atribuições referentes à manutenção, gestão e apoio às Casas da Madeira de Lisboa, Porto e Coimbra em território continental e na Região Autónoma dos Açores.