Greve dos técnicos de diagnóstico e terapêutica com elevada adesão na Região

Manifestação diagnostico e terapeutica
Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica pararam para reivindicar questões “fundamentais da carreira”. Na Madeira, houve concentração no Hospital Dr. Nélio Mendonça. Foto DR

Os técnicos de diagnóstico e terapêutica estão em greve e os números revelam, na generalidade, uma elevada adesão daqueles profissionais que reivindicam uma intervenção mais célere da tutela relativamente a questões que têm a ver com a definição das carreiras, de competências, respetiva avaliação, além da classificação das profissões de risco, bem como questões de índole remuneratória, ainda que a componente financeira não tenha estado no topo das situações que levaram a esta paralisação.

Hoje, ao princípio da tarde, à entrada do Hospital Dr. Nélio Mendonça, os profissionais concentraram-se, a exemplo de iniciativas semelhantes noutros pontos do País, manifestando o seu descontentamento pela falta de diálogo do ministério, que na opinião da estrutura sindical, relega para segundo plano a avaliação sobre os pontos que estão subjacentes às reivindicações, colocando prioridades nas pretensões dos médicos e dos enfermeiros.

Nos hospitais Nélio Mendonça e Marmeleiros, bem como no Centro do Bom Jesus, os números apresentados pelo Sindicato apontam para Fisioterapia =100%; Terapia Fala =100%; Terapia Ocupacional=100%; Análises Clínicas com (Banco sangue+laboratório); =60% , com serviços mínimos assegurados; Anatomia Patológica=30%; Audiologia= 50%
Cardiopneumologia=100% (com serviços mínimos assegurados); Dietista=20%; Farmácia=25%; Higiene Oral=0%; Medicina Nuclear=100%; Neurofisiologia=100%; Ortoptista=100%; Radiologia=85% (assegurados serviços mínimos).

Relativamente ao Porto Santo, a Radiologia e as Análises Clínicas registaram uma adesão de 100%, com serviços mínimos assegurados, sendo que Higiene Oral e Fisioterapia não aderiram.

Em Machico, houve 100% na Terapia da Fala e na Ponta do Sol, os dados indicam 100% na Terapia da Fala, 100% na Terapia Ocupacional e 80% na Fisioterapia. Em Santana, 100% na Terapia Ocupacional e em Santo António a Terapia da Fala registou 100% e a saúde Ambiental 25%.

No Centro de Desenvolvimento da Criança, registou-se o seguinte cenário:  Terapia da Fala=100%; Fisioterapia=100%; Terapia da Fala=100%.