Escritora Olinda Beja foi hoje à Escola Visconde Cacongo

No âmbito das comemorações do mês Internacional das bibliotecas escolares a EB1/PE Visconde Cacongo, no Funchal, recebeu esta tarde a escritora, poetisa e contadora de histórias, Olinda Beja.

Olinda Beja, natural de São Tomé, é originária de um país onde a oralidade sempre se sobrepôs à palavra escrita.

Durante séculos, o contador de histórias era o bálsamo para a escravatura e deliciou gerações atrás de gerações.

Olinda Beja esteve 40 anos ligada ao ensino do Português, 30 em Portugal e 10 na Suíça, onde lecionou Língua e Cultura Portuguesas.

Hoje está aposentada e prepara-se para lançar mais três livros, a juntar aos 16 já publicados e traduzidos em inglês, alemão e mandarim.

O livro “Um grão de café”, destinado ao público infantil, é apenas um deles e integra o Plano Nacional de Leitura.

Em “Um grão de café”, Olinda Beja conta a história de Paguê, menino que deu origem ao nome da ilha do Príncipe.