Colocada! Margarida Silva vive “misto de emoções” no curso de Ciência Política em Lisboa

Diogo Pereira com Margarida Silva.

A jovem Margarida Silva foi uma das madeirenses colocadas no ensino superior, mais precisamente no curso de Ciência Política, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa.

A exemplo de outros estudantes, o FN dá voz a esta “caloira” que acedeu dar o seu testemunho deste primeiro embate fora da terra, no competitivo universo do ensino superior, onde entraram este ano também centenas de madeirenses. Mais um testemunho na primeira pessoa que Margarida Silva partilha com os leitores do FN.

O dia de “voar mais alto”

“Avizinhava-se o tão esperado dia. O dia em que ia deixar os meus familiares, a minha casa, a minha cadela, a minha ilha, para ‘’voar mais alto’’ e começar quase que do zero. E os amigos? Esses, com muita alegria minha, também se preparavam para mergulhar numa aventura semelhante à minha.

Os dias anteriores à partida foram marcados por grande stress. Finalmente, chegou o dia de levantar voo. Próximo destino? Lisboa. As despedidas foram duras mas tudo se supera, um dia. A sensação de chegar a Lisboa e pensar ‘’a minha vida agora é aqui’’, para mim foi um tanto ou quanto assustadora.
Instalei-me na minha nova casa. Fui recebida com um sorriso de orelha a orelha pela minha colega. Tudo parecia tão entusiasmante e distante ao mesmo tempo. A minha cabeça andava a mil…

São 06h30 do dia 18 de setembro. A praxe está marcada para as 8h00 na porta principal do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas – Universidade de Lisboa (ISCSP – UL). Nunca tinha sido apologista das praxes até à data mas senti-me influenciada por amigas minhas que já tinham participado e me tinham transmitido uma ideia positiva. A primeira receção por parte das Entidades Praxantes não é de todo calorosa e a primeira frase que me dizem é ‘’Olhos no chão, caloira!’’.

A jovem estudante é já uma admiradora da capital lisboeta.

Não me senti nada confortável naquele primeiro dia, parecia tudo tão pouco acolhedor. Mas os dias foram passando e foi-me apercebendo que a minha ideia inicial estava a mudar. Afinal, até estava a começar a gostar da praxe.

Passada a primeira semana da praxe, com ensaios de músicas para competir em despique com outros cursos e muitos jogos, finalmente me sento numa cadeira da sala de aula. Eis que a dita ‘’primeira semana de aulas’’ passa a correr. Dou por mim e já estou no fim da segunda semana de aulas…
Durante esta semana, voltámos às praxes. Segunda feira, os doutores, os mestres e os veteranos (Entidades Praxantes) pediram aos caloiros que se reúnam na porta do ISCSP. Quando estávamos já todos juntos, avisaram-nos que era naquele dia que iríamos escolher os nossos padrinhos e/ou madrinhas de praxe. Um momento aguardado com grande ansiedade por todos.
Por fim, devo dizer que a minha experiência enquanto aluna universitária, até agora, tem sido positiva, mas também um ‘’misto de emoções’’. Já dizia Mahatma Ghandi, ‘’A força não provém da capacidade física. Provém de uma vontade indomável.’’ Nesta etapa das nossas vidas, temos de ser muito fortes.”