Rubina Leal acusa Cafôfo de enganar os estudantes e as famílias com as suas promessas

A candidata social-democrata à liderança da CMF insurgiu-se ontem à noite, em São Gonçalo, com a política “demagógica” e as “falsas promessas” do actual executivo municipal, que, considera, está a enganar as famílias e os estudantes funchalenses.

Em causa, está o anúncio de que a Câmara vai pagar as propinas de todos os estudantes universitários, quer estejam a estudar na Madeira, quer frequentem estabelecimentos de ensino superior no continente.

Rubina Leal fez as contas, e afirma ter desmontado mais uma “mentira” do candidato à Câmara. “São à volta de cinco mil os estudantes do concelho do Funchal. Como é possível pagar cinco milhões de euros, é que o que custam as propinas? Isto não é verdade. É mais uma mentira que é anunciada”, disse durante um Encontro de Campanha que decorreu ontem na freguesia de São Gonçalo.

“Falsas promessas”, apontou, que atingem também os estudantes até ao 9.º ano, que a Câmara diz que vai pagar os manuais escolares. “Sabem quantos alunos existem no Funchal até ao 9.º ano? São quase 16 mil. Isto é demagogia. Isto não é verdade”, afirmou, lembrando que o dinheiro não dá para tudo, e por isso é preciso apoiar sim, mas aqueles que mais precisam.

Pelo seu lado, prometeu: “Vamos começar por devolver os 4,7 milhões de euros de IRS às famílias, que pagam os seus impostos. Vamos criar um Fundo de Solidariedade Municipal para apoiar os mais necessitados”, explicou, acrescentando que a prioridade da política social da sua governação será os mais fragilizados, com os idosos. “Vamos apostar no apoio domiciliário e na compra de medicamentos.”

Tudo, sublinhou, dentro da maior responsabilidade e transparência, ao contrário, disse, do que tem acontecido nos últimos quatro anos no Funchal. “Vejam o que aconteceu às contas da nossa Câmara. Vejam a transparência que existe. Não sou eu que digo. Há um processo a decorrer, confirmado pela Procuradoria-Geral da República, e há uma investigação em curso à Câmara Municipal do Funchal”, lembrou Rubina Leal, dizendo que uma cidade como o Funchal não pode continuar a ser governada à boleia de promessas e anúncios.

“Prometeram habitação social. Onde é que ela está? Prometeram reabilitação urbana, dizendo agora que reabilitaram 70 edifícios. Onde é que eles estão? Prometeram mais bombeiros. Onde eles estão? Prometeram carros para a recolha de lixo. Onde é que eles estão? Já chega de anúncios. Já chega de promessas”, criticou.

Para Rubina Leal, o Funchal é um concelho ao abandono. Prometeu ainda que concretizará investimentos importantes para a freguesia de São Gonçalo: a construção de 30 fogos sociais, um jardim público e um passeio pedonal a ligar a Boa Nova à Cancela.