Mais Porto Santo contra “género de separatismo” da linha editorial do “novo JM”

FOTO GRUPO.jpgLOGO ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS 2017O movimento de cidadãos Mais Porto Santo, candidato às eleições autárquicas de 1 de Outubro, lamenta, em comunicado, que “o novo JM, se calhar ainda muito preso ao passado, tenha promovido um debate com apenas duas das sete candidaturas à Câmara Municipal do Porto Santo, curiosamente as duas que fazem parte do bloco central, PSD e PS, esquecendo todos os outros”.

A exemplo do que vem acontecendo, o JM tem promovido debates com alguns dos candidatos às eleições autárquicas, sendo que no caso do Porto Santo, o movimento que candidata José António Castro à Câmara Municipal, não concorda com o critério editorial imposto mas, ressalva, “porque vivemos em democracia e a liberdade é um bem precioso, não nos resta outra solução que não seja aceitar este género de separatismo, que iremos combater no futuro”.

Diz a nota enviada aos orgãos de comunicação social que “bem sabemos que não pagamos para escrever no JM, com a dação de verbas anuais que estão inscritas no orçamento da câmara, nem ajudamos a suportar este matutino com o dinheiro de todos os madeirenses, felizmente, hoje com verbas bem inferiores ao passado. Mas não podemos deixar de condenar este sectarismo e a falta de noção da realidade da nossa Ilha”.

Diz ainda a mesma nota: “Sentimos que os Porto-Santenses não se revêem neste tipo de exercícios parciais, como este protagonizado pelo JM, mas garantimos desde já que não tomaremos o mesmo caminho. Para nós, todos os meios de comunicação social são iguais e importantes. E fundamentais para o equilíbrio da nossa democracia”.