PSD quer manter casas de colmo e recuperar o Festival do Faial

Foto DR

A candidatura do PSD à Câmara Municipal de Santana aposta na conservação e beneficiação das casas de colmo de Santana e de São Jorge e ainda dos caminhos reais, assim como na recuperação de antigos cartazes culturais e turísticos, como o Festival do Faial.

Cláudia Dória, candidata a vereadora pela lista encabeçada por João Gabriel Caldeira – que não esteve presente ontem na ação de campanha, no centro de Santana, por ainda se encontrar a restabelecer da intoxicação alimentar que o levou, ontem, às urgências e que o afastou do debate promovido pela Radio JM e pelo JM – fez questão de sublinhar, aos jornalistas, a importância da cultura para o concelho e suas gentes, frisando ser uma área onde a candidatura social-democrata vai apostar.

Entre as várias medidas a apresentar ao eleitorado nas Autárquicas, de 1 de outubro, está a preservação e beneficiação das casas tradicionais de colmo de Santana e de São Jorge, “património amplamente conhecido e um lindo cartaz do concelho e da RAM”.

“Pretendemos também encetar estratégias de cooperação com as instituições socioculturais do concelho, para promover cartazes culturais tão conhecidos, como a Festa dos Cartazes, e recuperar alguns dos cartazes que se perderam ao longo dos tempos, como por exemplo o Festival de Canção do Faial”, anunciou ainda.

Outra medida que a candidatura social-democrata pretende implementar passa pela revitalização da Casa de Cultura de Santana. “Esta instituição tem sido subaproveitada ao longo do tempo e a nossa candidatura considera que a mesma poderia ter uma melhor utilização, na promoção e criação de eventos e atividades de índole artística e cultural”, disse ainda.

Por último, os sociais-democratas pretendem ainda dar, a serem eleitos, uma muito maior aos caminhos reais. “São um património cultural muito próprio, também. É nosso propósito mantê-los e recuperá-los e também dar-lhes uma dignidade maior, principalmente os mais utilizados, como é o caso do que liga a freguesia de Santana a São Jorge”, concluiu.