Levar o concelho ao mundo: filme “O Feiticeiro da Calheta” será exibido na África do Sul e Reino Unido

Da direita para a esquerda: Francisco Lobo Faria, o ator principal do filme, Luís Miguel Jardim, realizador e produtor, Carlos Teles, presidente da CM da Calheta, e Eugénio Perregil, presidente do Centro de Estudos de Educação e Cultura da Calheta e responsável pela divulgação do filme nas comunidades portuguesas.

A Calheta divulgada no mundo. É este o propósito de levar o filme “O Feiticeiro da Calheta” às comunidades madeirenses espalhadas pelo mundo. Não é sonho, é já uma realidade a partir de outubro próximo, segundo foi anunciado hoje na Câmara Municipal da Calheta.

Esta produção cinematográfica do realizador Luís Miguel Jardim será exibida de 19 a 30 de outubro na África do Sul, mais precisamente nas Casas da Madeira em Joanesburgo e Pretória e ainda em Cape Town, onde residem centenas de madeirenses.

Depois de África, a exibição do filme continua em Janeiro de 2018 no Reino Unido, mais precisamente em Londres, Crawley e Jersey, também com grande tradição de emigrantes madeirenses que poderão assim apreciar a produção cinematográfica madeirense que tanto êxito obteve nas salas de espetáculos da Madeira.

Esta intenção de divulgar o filme “O Feiticeiro da Calheta” pelo mundo conta com o empenho do presidente da Câmara Municipal da Calheta, Carlos Teles, que hoje, numa cerimónia pública, anunciou a divulgação desta produção além fronteiras e reforçou o empenho e entusiasmo da autarquia em promover a difusão da cultural local junto da Diáspora. Um ato que contou com as presenças, além do edil, de Luís Miguel Jardim, realizadador e produtor do filme, Francisco Lobo Faria, ator principal, e Eugénio Perregil, presidente do Centro de Estudos de Educação e Cultura da Calheta, responsável ainda pelos contactos com as comunidades para a divulgação do filme.

Mas África do Sul e Londres são apenas etapas de um percurso que se quer ainda mais longínquo. Eugénio Perregil está também a encetar contactos para levar o filme ao Brasil, onde a expetativa dos madeirenses é também grande em torno desta produção cinematográfica que presta homenagem aos valores e cultura da Calheta.