PCP preocupado com futuro do sector vitivinícola

O PCP/Madeira informou hoje que o partido colocou, no Parlamento Europeu e à Comissão Europeia, através do deputado comunista Miguel Viegas, questões sobre o sector do vinho e da vinha.

“Quando decorre a Festa das Vindimas, são da maior actualidade questões sobre os impactos do acordo livre comércio com a Austrália e a Nova Zelândia, de onde decorrerão incidências directas para a Região Autónoma da Madeira no sector vitivinícola”, refere o PCP/M.

A este propósito o PCP espera esclarecimentos urgentes sobre o comércio do vinho.

Miguel Viegas refere que o sector vitivinícola está preocupado com o facto de a Austrália, juntamente com o Chile, a Califórnia, a Argentina, a África do Sul e a Nova Zelândia serem os novos produtores mundiais com o chamado “vinho do Novo Mundo”, que passou em menos de 10 anos de 8 a 16 por cento da superfície mundial em vinha. O aumento das exportações em vinho da Austrália foi da ordem dos 586 por cento entre 1995 e 2005, fruto de uma produção industrial intensiva.

Por isso o deputado do PCP perguntou à Comissão Europeia se foram realizados estudos adequados de impacto destes acordos ao nível do sector vitivinícola europeu e se as normas contidas no acordo entre a UE e a Austrália sobre comércio de vinho, actualmente em vigor, irão manter-se, designadamente no reconhecimento das denominações de origem e no reconhecimento dos meios de produção tradicionais.